Cidades históricas de Minas

No coração de Minas


       Estava com vontade de escrever este post há muito tempo e, apesar de já terem se passado cinco anos dessa viagem, ela estava fresca na minha cabeça. A oportunidade veio com um convite para escrever um post: o Estado de Minas está lançando um portal de turismo novo, o Wikiminas, que tem uma proposta muito bacana. Além das informações básicas sobre os destinos, a idéia é ter usuários e visitantes acrescentando informações e criando um banco de dados cada vez mais completo e do ponto de vista de quem já foi e conferiu. Como um dos meus destinos queridos no Brasil, eu só posso ficar feliz e participar da iniciativa. Dêem um pulo e confiram o projeto!
       Mesmo tendo nascido e vivido toda minha vida em São Paulo, sou uma entusiasta de Minas Gerais, em boa parte por conta da origem de meus pais. Minhas visitas quando criança a um certo canto do sul de Minas me levaram a gostar de cada pequeno indício de que eu estava do outro lado da divisa: as casas antigas de colonos, os coqueiros no meio dos pastos, as cerquinhas tortas, os riachos com taboas…até mesmo as placas enferrujadas e asfalto esburacado me faziam sentir em outro território.

       Outras imagens queridas retornam, de quando chegávamos à cidade com a visão dos casarões de estilo eclético, o carro tremendo sobre o piso de paralelepípedo, o som das vozes que me cumprimentavam naquele sotaque mineiro delicioso: “Emilinha!” Poderia continuar aqui com tantos outros detalhes, mas, apesar de talvez deixar alguns relembrando suas próprias memórias infantis, esses são registros totalmente pessoais, praticamente indescritíveis. Melhor ficar aqui com o outro motivo que me leva sempre a voltar para Minas e que está ao alcance de todos: o seu conjunto de atrações naturais, históricas, culturais e humanas que não se parece com nada do que temos em outras regiões do país.

       Talvez o melhor lugar para sentir a originalidade de Minas seja o circuito das cidades históricas: é irresistível a combinação do patrimônio colonial com todas aquelas particularidades mineiras. Como não se sentir acolhido pelo relevo montanhoso e a gentileza e discrição de quem você encontra pelo caminho? Eu costumo brincar que essa região é o equivalente brasileiro do interior francês, quando você sai no seu carro explorando as pequenas cidades antigas, curtindo a paisagem de campo, comendo bem.

       Essa é a oportunidade de mergulhar em uma parte fundamental da história brasileira, o Ciclo do Ouro, quando Minas foi o centro da exploração deste metal e de pedras preciosas, especialmente no século XVIII. A riqueza material permitiu um desenvolvimento cultural nunca visto antes na história e é esse reflexo na educação, arquitetura, música, literatura e artes plásticas que é possível ainda sentir nas cidades históricas. Sobre esse assunto fantástico, especialmente o surgimento do barroco mineiro, sugiro fazer uma visita ao Fatos & Fotos, que tem posts detalhados e com muita pesquisa.

       Sortudos os próprios mineiros e também os que estão pertinho, como paulistas e cariocas, que podem sair, como eu, numa bela manhã em direção a Tiradentes, minha primeira parada ao percorrer o caminho, na companhia sempre fantástica da minha mãe: brincava que era uma vergonha uma mineira não conhecer as maravilhas do seu próprio estado e que iríamos resolver essa falha de currículo 😀

       Chegar à cidade foi como entrar em um cenário de conto de fadas: como podia existir um chuchuzinho de cidade assim? Preservada, pequena, atmosférica. Os detalhes das casas e das primaveras debruçadas sobre os muros atraem os fotógrafos, que têm aqui inspiração de sobra para vários cliques.



       E todos conferem os antiquários e as lojas, já que esta é uma região tradicional de artesanato de qualidade – fica em Bichinho, distrito a alguns quilômetros da cidade, a sede da Oficina de Agosto, famosa dentro do Brasil e fora. A vila foi bem retratada aqui, neste post do Fatos & Fotos.


        Mas o melhor mesmo é bater perna, curtir a calma de cidadezinha que parece estar fora do tempo presente, e visitar a igreja matriz de Santo Antônio. Ela é uma das mais lindas igrejas do barroco mineiro e o brilho do ouro que a recobre pode ser conferido de dia, mas também à noite se for dia de concerto na matriz.

       Chegar até ela já é um prazer, se for pela subida suave  através da rua Padre Toledo, a mais perfeita tradução de Tiradentes, de uma beleza concentrada. No pátio da igreja, a atração principal, além da fachada de Aleijadinho, é a vista da cidade e da serra de São José – um paredão de pedra que protege Tiradentes e faz com que cada um se sinta aconchegado aos pés dela. Vale a pena uma caminhada pela crista da serra, suas vistas, mata e rios. Outra possibilidade de caminhada é a que acompanha o canal que traz água da nascente até o Chafariz de São José, chamado de Mãe d’Água.

       E como não falar do conjunto fabuloso de restaurantes? Difícil acreditar na quantidade e qualidade deles numa cidade tão pequena, mas é fato a tradição gastronômica de Tiradentes, com algumas das melhores casas de comida mineira do Brasil, além de opções francesas, italianas… É só escolher: Tragaluz, Viradas do Largo, Estalagem, Theatro da Villa e muitos outros.
       Tiradentes é uma ótima base para ir até a vizinha São João del Rey, que, se não é tão charmosa quanto, compensa com seu patrimônio arquitetônico: a Igreja São Francisco de Assis e suas palmeiras imperiais, o Solar dos Neves, a Catedral Nossa Senhora do Pilar e as suas ruazinhas cheias de casarões anônimos que merecem um olhar calmo. A melhor maneira de fazer a visita é seguir pela maria-fumaça que percorre em várias viagens por dia o caminho entre as duas cidades.

(foto de Emília)
       Difícil se despedir de Tiradentes (quem quiser continuar a viagem, sugiro uma visita aqui), mas seguir é preciso – próxima parada:  Congonhas, para uma visita aos doze profetas de pedra-sabão esculpidos por Aleijadinho. A cidade não tem atrativos, mas o complexo da Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos compensa totalmente a parada. O complexo, que ocupa o topo de uma colina e uma boa parte de sua encosta, inclui o adro e escadaria da igreja com os magníficos profetas, a própria e sua curiosa sala de ex-votos e também as Capelas dos Passos com esculturas em madeira, na maior parte feitas por Aleijadinho. A Unesco reconheceu em 1985 a importância da basílica e a transformou em Patrimônio Mundial.

(foto de Emília)
       Daqui segue-se por mais um trecho de estrada até a grande estrela das cidade históricas de Minas – Ouro Preto. A minha primeira impressão não foi muito positiva: tendo saído da encantadora Tiradentes, foi um choque ver o centro histórico perdido no meio de morros cheios de casas de construção recente e sem nenhuma relevância arquitetônica (além da frustração de tentar me encontrar nas ladeiras estreitas e sem sinalização). Ouro Preto só me conquistou mesmo à noite, quando saímos pela cidade quieta em direção à praça Tiradentes, percorrendo as vielas cheias de bruma.

       Ela tem razão em sua fama: o conjunto dos seus casarões históricos, igrejas e museus é simplesmente precioso. As suas ladeiras diminuem o ritmo da visitação, o que é perfeito para manter o equilíbrio entre olhar para o alto, para observar os detalhes das construções, e para baixo, para não tropeçar no calçamento irregular. Não há mesmo porque ter pressa…no meio do caminho para a Casa dos Contos tinha um chafariz, e dali para a Matriz Nossa Sra. do Pilar tinha um café com broa de milho e de volta ao Museu da Inconfidência tinha um buffet mineiro no restaurante Chafariz.




       Difícil manter a contagem das suas igrejas e até pode-se pensar que é uma visitação cansativa depois de algumas, mas a verdade é que não dá para resistir a entrar em várias delas, já que cada uma tem uma característica exclusiva. Cada uma delas vale a visita: as matrizes, a Nossa Sra. do Rosário dos Pretos, a Santa Efigênia…Mas para mim é incomparável a Igreja de São Francisco de Assis , obra-prima de Aleijadinho e de mestre Ataíde. O primeiro conseguiu com seu projeto criar uma igreja de exterior compacto e harmonioso – era uma delícia parar para vê-la sempre no caminho para o hotel. O segundo pintou o seu teto com a cena da assunção de Nossa Senhora da Conceição que é bela e emocionante, um desafio conseguir sair da igreja sem várias apreciações demoradas.

       Um bate-e-volta até Mariana é rápido e vale a pena encaixar numa manhã, especialmente para ver a Catedral da  Sé com seu órgão espetacular (se der sorte você pode ver alguma das apresentações). Mas o cenário ainda mais característico de Mariana é a composição da praça Minas Gerais, com seus três lados tomados pela Casa de Câmera, a primeira do país, e também pelas igrejas de São Francisco e do Carmo. Uma foto da sacada da primeira, captando as outras duas, é um clássico dos álbuns de viagem.

 (foto de www.redelivredecultura.com.br)
       Na volta, se estiver de carro, vale uma visita à Mina da Passagem, para ter uma idéia de como funcionava a atividade que deu origem a toda esta ‘civilização’ que floresceu no interior mineiro no Ciclo do Ouro.
       Antes de seguirmos para Belo Horizonte, um desvio pelas cidades de Santa Bárbara e Catas Altas para visitar o isolado Santuário do Caraça, em meio à serra de mesmo nome. Fundado no início do século XIX como um colégio, funcionou até a década de 60, quando um incêndio destruiu parte de um dos dormitórios. Hoje a construção gótica e a reserva natural na qual está inserida foram transformadas em pousada, área de pesquisas e centro religioso. As acomodações são simples, mas a beleza do lugar compensa: as trilhas levam a cachoeiras e mata de cerrado, e bichos como jacus e caxinguelês podem ser vistos até da janela do quarto, aberta para o jardim.


(foto de Emília)
       Mas a principal atração animal aqui é o lobo-guará: todas as noites os padres os esperam com carne no pátio da igreja. Os visitantes podem observar em silêncio, mas há que se ter paciência e agüentar um pouco o frio da noite para ver seu caminhar elegante subindo a escada, o olhar desconfiado e finalmente o seu jantar. Um momento emocionante, assim como outro mais simples, mas de que nunca me esqueço: observar o fim de tarde na escadaria da igreja, ouvindo os pássaros e a fonte do jardim francês, a luz do sol entre a mata e os coqueiros, o cheiro de fogão a lenha preparando o jantar. Pura paz.
       Nos arrependemos de não termos dedicado mais um dia ao Caraça, mas era hora de começar a pensar na volta. No caminho para a capital, última parada em Sabará para uma visita muito específica: a pequena igreja de N. Sra. do Ó, extremamente simples no exterior. A surpresa é entrar e ver uma igreja ricamente ornamentada e com inusitados motivos orientais. Muito vermelho e dourado, santos com olhinhos puxados, dragões. Como eu tinha dito, é difícil cansar das igrejas, sendo cada um tão diferente da outra, todas lindas e interessantes…
       Mais um bocadinho de estrada e chegamos a Belo Horizonte, as suas ruas enfeitadas com ipês rosas cheios de bolas de flores. A cidade para mim é muito querida, já que na minha primeira vez nela, a trabalho, tive uma das melhores recepções: pessoas gentis, abertas, preocupadas, que marcaram positivamente o lugar, em definitivo.


(foto de Emília)
       Um pato delicioso no Taste Vin, uma parada na Pampulha, outra no Mercado Municipal (muitas comprinhas de doce de leite e queijo canastra) e estávamos voltando para São Paulo. Até hoje nos lembramos com carinho e saudades de uma viagem divertida, tranqüila, bela. Completa, enfim.
       Deixo um super agradecimento ao Arnaldo pelo empréstimo da maioria das maravilhosas fotos deste post (aquelas que não tem indicação de crédito). Se eu pudesse colocar todas…  Não dá para colocar todas, mas aqui estão os álbuns do Arnaldo no Flickr:
Tiradentes:
http://www.flickr.com/photos/interata/sets/72157609888450444/show/
Ouro Preto:
http://www.flickr.com/photos/interata/sets/72157606793085122/show/
_______________________
Outras viagens…
       O novo Frugal Traveler (The New York Times), Seth Kugel, conhece muito bem o Brasil e fez uma belíssima matéria sobre quase o mesmo roteiro, leia aqui.

81 Comments

  1. Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

    Emília, que delicioso relato. Como tantos outros seus, este acentua ainda mais a vontade de irmos correndo pro lugar.
    O blog está ótimo, carregando muito mais rapidamente e com largura maior para o texto e consequentemente para fotos maiores. Está muito, muito atraente.
    Acerca das fotos, quem quiser ver os álbuns completos, em slide show, de Ouro Preto e de Tiradentes, com cerca de 2000 fotos de ambas as cidades, basta copiar os endereços abaixo e deixar passarem…
    Tiradentes:
    http://www.flickr.com/photos/interata/sets/72157609888450444/show/
    Ouro Preto:
    http://www.flickr.com/photos/interata/sets/72157606793085122/show/
    Se preferir inserir os elos de ligação no texto, fique à vontade.
    Parabéns, está muito bom.

  2. Oscar

    Emilia
    Esse post sobre Minas e as cidades históricas me fez lembrar uma das primeiras viagens que fiz desde que me entendo por gente.
    Ainda lembro de todos esses lugares, eu devia ter uns 8 anos de idade, fui com a minha mae, minha avó e duas tias!! Desde pequeno já era chegado em viajar!!
    As fotos estão lindas, parabens para vc e para o Arnaldo!!
    Continue postando esses posts tão legais de se ler.

  3. Emília

    Arnaldo, já aproveitei e coloquei os links 😉
    Sei que você também gosta desta região, é sempre uma tentação para escapadas…
    Eu sabia que alguém iria reviver memórias de infância, Oscar, mesmo que não tivesse família mineira 😀
    Você sabe que na minha família brincamos que todos já nascemos com rodinhas nos pés: meus pais já viajavam comigo quando ainda era bebezinha. Não tem como não pegar gosto!
    Um abraço!

  4. Camila

    Que delícia de post, Emília! Você já deve adivinhar que eu adorei, né? 😀 Em março aproveitei para dar mais uma esticadinha até Tiradentes (daqui a pouco aparece no Viaggiando). Senti como se estivesse lá pela primeira vez! Não consigo deixar de me encantar! Seu texto está maravilhoso (como sempre) e as fotos do Arnaldo um espetáculo (como sempre, também! 😉 )
    Beijos!

  5. Emília

    Camila, você foi um dos mineiros em que eu pensei enquanto escrevia este texto, acredita?
    Nós também estamos voltando para Tiradentes no próximo feriado, estou com saudades de lá. Quero ver seu post para ir relembrando…
    Obrigada e um beijo!

  6. Carmen

    Verdadeiramente uma revisão profunda das entranhas de Minas escrita desde o seu coração.
    Adorei o texto e todas as fotos as suas e as do Arnaldo.
    Saludos

  7. Érica Cristina França

    Emília, acompanho seu blog e gostei bastante da casa nova. Este post me deixou com uma vontade enorme de fazer um tour para as cidades históricas. Por enquanto, ainda estou no sul de Minas, mas chego lá. Beijo.

  8. Emília

    Carmen, fico feliz que tenha captado o meu espírito enquanto relembrava essa viagem e escrevia. Muito obrigada pelos elogios, respondo pelo Arnaldo também!
    Um beijo!
    Oi, Érica!
    Se você está no sul de Minas, já está pertinho, dá até para fazer por partes, em feriados, que tal?
    Obrigada pela visita 😀

  9. Marcie

    Que delícia de post. Eu já andava com muitas saudades de Minas ( nunca dá tempo de ir, quando vou ao Brasil), e esta semana a Silvia, do Matraqueando também fez posts incríveis sobre o Inhotim. E agora você…com este texto delicioso e estas fotos maravilhosas…que vontade!

  10. Mari Campos

    Oba! Que bom que tem post novo na casa nova! :mrgreen:
    Ler o post e ver as lindas fotos deu mais saudades ainda de Minas, onde também tenho parte das minhas raízes e belas lembranças de infância… Bjs!

  11. Emília

    Meninas, que bom ver vocês por aqui!
    Marcie, eu imagino a correria quando você está aqui e as inúmeras tentações de sair correndo por esse Brasil afora 😉
    Mari, mais uma que se lembrou da infância…haja nostalgia! 😀
    Beijos para vocês!

  12. Tony

    Está lindo esse texto e essas fotos suas e do Arnaldo. Vontade de voltar para Minas! O projeto do Wikiminas está muito interessante (e bonito) também. Parabéns!

  13. Emília

    Puxa, isso vindo do homem que conhece o Brasil como poucos! Obrigada, Tony 😀
    Eu achei bem bacana o projeto, bem original e acho que vai ser bem legal ver tomar forma. Boas iniciativas no setor tem que ser prestigiadas.
    Um abraço!

  14. CarlaZ

    Emilia,
    adorei esse post! Sabe que gracas as maravilhosas fotos do Arnaldo acabei em Tiradentes no Corpus Christi do ano passado e foi tao legal que final de semana que vem voltaremos!
    Estamos vendo as fotos aqui ansiosos pra chegar.
    Beijos

  15. Emília

    Tiradentes é irresistível mesmo, Carlinha! Eu caí de amores pela cidade e vamos voltar também. Difícil ver uma cidade tão bem preservada, bem mantida…Um pequeno sonho de cidade!
    Um beijo!

  16. Eduardo Luz

    Mais uma bela aula. E complementada pelas ótimas fotos do Arnaldo (se bem que alguma são suas!! rs).
    Estou pra fazer uma microscópica ConVnvenção com o Hugo lá em Tiradentes. Já tá devidamente agendada.
    E ainda mais depois que você disse que e a região é equivalente àquelas do interior da França.
    Pergunta (Não podia ficar sem alguma): qual o restaurante mais bacana?
    Abs.

  17. Emília

    Edu, guardadas as devidas proporções, até na comida (substanciosa) Minas e o interior francês se equivalem, rs…
    Nós também vamos no comecinho de julho para uma viagem familiar a Tiradentes. De todos os restaurantes que experimentei, o Tragaluz me surpreendeu pela boa comida (contemporânea brasileira, digamos), serviço e ambiente. Para comida mineira, minha sugestão é ir direto ao Viradas do Largo. A comida é mais leve, deliciosa e com vista para a horta.
    De qualquer maneira, vamos testar mais alguns e recomendamos os melhores para quando vocês forem! (Afinal as minhas experiências são de 2005…) Acho que vocês vão gostar da cidade.
    Um abraço!

  18. Vandreza

    Querida, Se eu tivesse lido este post antes teria ido para Minas neste feriado… que lindo! Obrigada por compartilhar. Acabei de chegar de um lindo parque ecologico. Segue a dica para sossego e comida boa: http://www.paraisobr.com/ beijos

  19. Emília

    Van, bom te ver por aqui!
    Você gostou então do Paraíso? Eu já tinha entrado no site há bastante tempo e achado o lugar lindo…É pertinho do Petar!
    Esse roteiro foi feito em dez dias, mas um feriado é o bastante para fazer Tiradentes ou Ouro Preto (nesse caso talvez seja melhor ir direto a BH de avião).
    Beijo pra você!

  20. Andrea Battoni

    Olá Emília,
    Parabéns pela casa nova!
    Este post então…Sou mais uma que volta à infância relembrando…
    As fotos estão demais e seu precioso relato faz a gente sonhar!
    Parabéns 😀

  21. Emília

    Oi, Andrea! Seja bem-vinda à casa nova 😀
    Eu sabia que iria tocar num ponto nostálgico de alguns leitores, hehe…
    Obrigada e um beijo!

  22. Isabel O., Portugal

    Claro que eu sou suspeita(portuguesa e professora de História) mas estes locais são mesmo o que mais prazer me dão visitar no Brasil. Já estive em Paraty e em Olinda mas esses locais mineiros não lhe ficam nada atrás.
    Gostei muito. As fotografias estão mesmo bonitas.

  23. Emília

    Isabel, não sabia que era professora de história! Imagino que todas essas cidades coloniais devam te atrair muito…A mim também: Paraty é um dos meus lugares favoritos no Brasil, não canso de voltar.
    Obrigada pela visita!

  24. Viajando com Pimpolhos

    Emília,
    Que delícia de post e que fotos lindas, suas e do Arnaldo!
    Adoro essa região tb, certamente pq morei anos em Portugal e ter esse charme, essa arquitetura no meio do verde brasileiro é realmente especial!
    Vc me lembra que tenho que voltar lá mais vezes! Tão pertinho!
    Parabéns!

  25. Emília

    Sut-Mie, para quem está no Rio é muito mais fácil ainda! Os paulistas tem que pegar a Fernão Dias (nunca uma direção relaxada…) e mais a horrorosa que vai de Lavras até a Tiradentes, um buraco só! Mas vale a pena 😉
    Obrigada pela visita!

  26. Carol Wieser

    Emília!!!
    Bateu uma vontade de ir conhecer MG!! E já!!!
    Eu sempre soube que estava perdendo um turismo de primeira, mas depois do seu relato e fotos, uau!! Viajei junto… e realmente, parece que estamos em outro lugar do mundo e não no Brasil. Tão pitoresco!.
    Amei. Amei. Amei. Agora só falta conhecer pessoalmente.
    Beijos

  27. Emília

    Carol, perfeito para quem gosta de slow travel, boa comida e romantismo! (E ótimo para futuras mamães, com exceção das ladeiras! Rs…) Obrigada pelas palavras gentis!
    Está tudo bem com as duas?
    Um beijo!

  28. Deiatatu

    Como é bom ler um post tao pessoal como este, sem tantos dados históricos ou datas impessoais, mas sim com a sua história pessoal que te liga a este lugar tao especial. Parabéns pela descricao e pelas fotos! Me deu muitas saudades desta regiao…
    super beijo

  29. Emília

    Oi, Deia!
    Fico feliz que tenha gostado do post, é engraçado como viajamos de novo quando escrevemos sobre um lugar, mesmo que já tenhamos visitado há tanto tempo!
    Aliás, fazia tempo que não te visitava, que posts maravilhosos sobre a Sicília!
    Obrigada pela visita, bom te ver por aqui!

  30. Beatriz

    Olá!
    Semana que vem vou conhecer Congonhas, a última das cidades históricas da minha lista. Embora carioca, estou agora morando em Minas e AMO esses lugares! Sua visita em meu blog será um prazer: http://www.biaviagemambiental.blogspot.com
    Bjs,
    Bia

  31. Fê Costta - viaggio mondo

    Ah, que delícia ver minha terrinha querida, quanta saudade!! Eu sou daquelas belorizontinas que todo fum de semana ia para as cidades históricas, seja só para almoçar, para ir a algum festival, cachoeira ou simplesmente passear! As fotos do Arnaldo são sempre deslumbrantes, um convite à memoráveis lembranças!
    Preciso corrigir uma lacuna no meu currículo turístico também! De todas estas, só não conheço Congonhas. Além da beleza da catedral de Bom Senhor do Matozinhos, foi ali que meus bisavós se casaram! Tenho que ir!! 🙂
    Menina, acabei de voltar da Índia! Me supreendí com o local, depois venha no blog ver! 😉
    Bjs!

  32. Emília

    Bia, depois me conte como foi a visita a Congonhas! Eu em breve vou rever Tiradentes e não vejo a hora de aproveitar o friozinho mineiro…
    Lindas fotos no seu blog, vou depois fazer uma visita com mais calma, um beijo!
    Fê, não sabia que era mineira! Morar em Belo Horizonte é uma maravilha, tantos lugares incríveis para se visitar em finais de semana ou feriados, ô invejinha, rs…
    Acabei de dar um pulo lá no Viaggio e tive uma super surpresa com a Índia, que fotos lindas! Como uma dos próximos destinos, fico aqui esperando a sua série, ansiosa 😀
    Um beijo e obrigada pela visita!

  33. Carla

    As suas fotos estão lindas !!Parabéns
    Qual máquina fotográfica você usa ?
    Felicidades
    Carla

  34. Emília

    Oi, Carla!
    Essas fotos lindas não são minhas, não…São do Arnaldo, que usa uma D700. As poucas minhas que estão no post foram feitas com uma Canon Powershot bem basiquinha.
    Um abraço!

  35. Paula*

    Emília, parabéns (atrasado) pela “casa nova”!
    Ficou lindona mesmo!
    Adorei esse post! Pretendo fazer esse passeio com as meninas na férias e vou imprimir tudinho pra levar na bagagem!
    Obrigada, querida!
    Bjo 😉

  36. Deise de Oliveira

    Lindas fotos! Vou para Minas no mês que vem e essas fotos só me deixaram com mais vontade!

  37. Emília

    Paula, que bom ter tua presença querida aqui no Turista!
    Para vocês que estão aí no Rio, Minas é passeio fácil, muito melhor que saindo de São Paulo. Bacana você estimular cedo as meninas a valorizar o que temos de bom 😀
    Um grande beijo!
    Oi, Deise, para onde você vai?
    Obrigada pela visita e boa viagem!

  38. Erica Raquel

    Ola Emilia,
    Muito bacana seu blog, parabens!! Adorei o post sobre as cidades historicas, quero muito conhecer, sou de SP e o destino é perto e tal, mas sempre acabo colocando outros destinos na frente, seu post me deixou com mais vontade de conhecer. Obrigada pelas dicas!
    Beijos

  39. Eduardo Luz

    Professora, só espero que não demore mais 5 anos pra sair um post novo por aqui!! 🙂
    Bjs pra vocês.

  40. Fê Costta - viaggio mondo

    Ei Emília!!
    Para vc que está indo para a Índia, depois dá uma olhadinha no post que publiquei sobre os palácios de Jaipur… simplesmente fantásticos! Vc e o Arnaldo vão adorar conhecer aquelas marvilhas do mundo rajastani! 🙂
    Bjks

  41. Emília

    Oi, Érica!
    É verdade…às vezes colocamos alguns destinos mais difíceis na frente para aproveitar oportunidades e sempre achamos que os mais próximos de nós sempre estarão ali. Uma hora Minas vai ‘te chamar’ 😀
    Um beijo!
    Quem sabe um pouco menos, Edu…
    Um abraço!

  42. Emília

    Fê, os seus posts sobre a Índia estão maravilhosos…As fotos estão me transportando para lá e me deixando mais ansiosa com a viagem! O post do palácio está de matar, mas amei também o de Fatehpur Sikri e Agra. Uma maravilha…
    Um beijo!

  43. Uelyn - Blog da MalaPronta.com

    Olá Emilia,
    Achei muito interessante seu post.
    Adoro cidades históricas, um amigo meu tem o privilégio de morar em Tiradentes ele me conta maravilhas sobre a cidade e inclusive me indicou um pousada lindíssima( não me recordo o nome agora)que até já foi cenário de filmes e novelas de época.
    Parabéns mesmo pelo blog, espero visitar essa cidade um dia.
    Beijos Uelyn

  44. javier

    Gostei muito do articulo,em breve pretendo conhecer essa cidade maravilhosa,gostei muito das fotos.
    Obrigado pela informação.

  45. Emília

    Oi, Uelyn!
    Inveja boa desse teu amigo…Voltei a Tiradentes no mês passado e ela continua encantadora! Sobre a pousada, será que não é a Solar da Ponte?
    Obrigada pela visita!
    Javier, se puder vá, pois o roteiro é maravilhoso. Dá saudades de lembrar…
    Um abraço!

  46. Lu Malheiros

    Emília,
    Passei para deixar um abraço pelo seu aniversário! Acho que é hoje, não?
    Muitas felicidades, viagens, saúde,enfim, tudo de bom, sempre.
    Abs,

  47. Emília

    Lu, que gentil vir aqui deixar um recado…Muito obrigada!
    Um beijo!

  48. Teté

    preciso ir ao interior de Minas, tudo indica que vou amar. Que fotos lindas!

  49. Janira Borja

    Esse é um roteiro que desejo fazer faz tempo e esse post só atiçou ainda mais minha vontade… Minas deve ser tudo de bom!
    Beijos!

  50. Emília

    Teté e Janira, se gostaram do roteirinho pelo post, imagino ao vivo! Minas é mesmo uma delícia…
    Ah, e as fotos são na maioria obra do Arnaldo: ele merece os elogios…
    Um beijo para vocês!

  51. Guta

    Oi Emilia! Tudo bem?
    Passo aqui para avisar que o Vambora está de cara nova e endereço definitivo! Se vc puder atualizar seu blogroll eu agradeceria!Agora o endereço é http://www.blogvambora.com.br
    Obrigada!
    bjus

  52. Lilian

    Emília, adorei a linguagem, as fotos, o conteúdo rico!
    Me deixou empolgada para visitar Ouro Preto e Tiradentes, que ainda não conheço.
    Atualmente, moro nos EUA e sou também uma entusiasta das andanças e descobertas pelo mundo afora.
    Comecei o meu blog no ano passado.
    Quando tiver um tempinho, dê uma checadinha na parte de viagens:
    http://www.liliankano.com/Descobrindo_a_America/Viagem/Viagem.html
    Um abraço!

  53. Walter F Leite

    Emília, belíssima postagem você fez. Minas é assim, você demora um tempo e ai a história fica mais saborosa e contada com mais amor.
    Parabéns.

  54. Emília

    Oi, Guta, que boa notícia!
    Vou atualizar o blogroll e dar um pulo no novo site.
    Um beijo e boa sorte!
    Lilian, muito obrigada pelas palavras gentis…Imagino que para quem esteja fora ver matérias sobre o Brasil só deixa um pouco mais de saudades.
    Vou dar um pulo lá no teu blog. Um abraço!
    Obrigadíssima, Walter. Não tem jeito, o carinho com Minas é no ‘papel’ e na mente…
    Um abraço!

  55. Carla

    Oi Emília!
    Acho que nos esbarramos em Minas… As minhas fotos são parecidas com as suas… hehehehe. Adorei seu cantinho, assim que der dê uma espiadinha lá no meu…
    http://www.expedicaoandandoporai.blogspot.com
    Valeu e Boas Viagens!

  56. EduLuz

    Agora eu entendi!
    Você quer chegar ao recorde de comentários, né não?
    Bjos pro casal.

  57. Hoteis

    Oi Emília,
    são por posts como este que entre muitos blogs, selecionamos o seu para participar de uma promoção.
    Escreva um post sobre uma de suas viagens, nos envie e avise a seus amigos para acessarem nosso blog e votarem. A nota mais votada ganhará uma viagem!!!
    Siga-nos em http://www.twitter.com/blogdecolar e em Facebook e conheça as regras (as regras começarão a ser postadas dias 29/09/10).
    Deixamos este comunicado como comentário por não ter encontrado o seu endereço de email. ; )

  58. Pedro Serra

    Vendo essas belas imagens do Arnaldo, fiquei com saudades de Tiradentes, e grande vontade de visitar esses outros lugares que ainda não conheço.
    Abraços

  59. Emília

    Obrigada pela visita, Pedro!
    Voltei a Tiradentes faz pouco tempo e continua encantadora…
    Um abraço!

  60. Flavia Mariano

    Minas é sempre uma boa inspiração. Morei lá por 2 anos. O interior histórico é uma delícia. E o que falar de Tiradentes? Um sonho.

  61. Carmen

    Feliz 2011 pra vocês!!!

  62. Barbara

    As Impressões de uma Viajante desejam-lhe um 2011 cheio de viagens 🙂

  63. Carol Wieser

    Ahhhhh, e eu achei que era eu que andava sumida… Tudo bem por ai?
    Mande notícias pra gente, sentimos saudades dos seus posts.
    Beijos e feliz 2011!

  64. Mel

    Desculpe, mas não achei outro local para postar esse assunto.
    Vi que seu excelente blog está no Blogroll do Blog Aquela Passagem e então resolvi solicitar que dê sua opinião sobre esse post:
    http://www.aquelapassagem.com.br/lobo-em-pele-de-cordeiro-sobe-na-vida-apoiando-se-sobre-o-trabalho-dos-outros-e-fazendo-se-passar-por-expert-do-que-nao-consome-ou-domina-profundamente/
    Não sou dona de blog, mas se eu tivesse no lugar do Rodrigo, eu realmente também estaria muito chateada. Plágio existe, mas tem limite. Estou tentando ajudá-lo, pois por muitas vezes fui ajudada com suas ótimas dicas. Agora não posso deixar que um blog desse nível deixe de existir por falta de ajuda dos seus leitores.
    Se vc puder, por favor, se posicione e vamos levar essa matéria adiante!
    Obrigada.

  65. Emília

    Flavia, obrigada pela visita!
    Carmen, Barbara e Carol: um 2011 feliz demais da conta para vocês! Espero que não tenha vindo muito atrasado 🙂
    Mel, sabia do que estava acontecendo, mas não nessa intensidade, como li hoje no post do Rodrigo. Acho que devemos sim divulgá-lo para ajudar o Aquela Passagem nesta situação ingrata. Obrigada pelo comentário e peço a todos que virem seu comentário que dêem uma força ao Rodrigo, espalhando o que realmente tem acontecido. Lamentável…até o logotipo dele no Twitter é parecido com o do AP. Espero que o Rodrigo não desista e que finalmente as pessoas se dêem conta de quem é essa figura.
    Um beijo para todas!

  66. Petterson

    Poxa, essas fotos estão realmente lindas… estive em Ouro Preto há alguns anos. Com um pequeno mapa marquei todo dia um roteiro para conhecer a pé. Sensacional!

  67. Emília

    As fotos estão mesmo lindas, Petterson, que bom que pude tê-las para ilustrar a matéria, já que quase não tive minhas para isso.
    Obrigada pela visita e um abraço!

  68. Lenina

    Oi Emilia, tudo bem?
    Sempre acompanho seu blog e adoro seus posts, suas fotos e dicas de viagens!! Parabéns!!
    Também criei coragem e estou escrevendo o meu, quando puder, passa por lá: http://descobrindopaisagens.blogspot.com/
    Abraços,
    Lenina

  69. joão evangelista rodrigues

    Olá, belas imagens, sobretudo, vistas por serem resultado de um olhar estrangeiro rss
    Vc é uma turista muito especialbjs
    a geografia Minas
    se multifaz em ciclos e desmandos
    em várias direções
    tudo se ordena
    conforme seja o nome a novena
    o desejo do dono do santo
    a mobilidade das estações
    conforme ou não
    a ulceração das máquinas
    o labor das almas nas oficinas
    o sabor da voz
    sua forma feminina
    nos escritórios aeróbicos
    a cintilação dos signos se impõe
    estranhas Minas
    de cores e gestos Gerais
    com suas leras ilegíveis
    com seus sinais e confabulações
    cartografia sem fim
    sertão invisível chaga aberto à visitação
    ii
    a geografia Minas
    se multifaz em ciclos e desmandos
    em várias direções
    tudo se ordena
    conforme seja o nome a novena
    o desejo do dono do santo
    a mobilidade das estações
    conforme ou não
    a ulceração das máquinas
    o labor das almas nas oficinas
    o sabor da voz
    sua forma feminina
    nos escritórios aeróbicos
    a cintilação dos signos se impõe
    estranhas Minas
    de cores e gestos Gerais
    com suas leras ilegíveis
    com seus sinais e confabulações
    cartografia sem fim
    sertão invisível chaga aberto à visitação
    João evangelisra rodrigues …vialaxia.blogspot.com

  70. Emília

    Oi, Lenina, está lindo o blog, espero que goste da experiência!
    Obrigada pela visita e espero que venham muitas outras viagens para você relatar no teu blog!
    João, o olhar é ‘estrangeiro’, mas eu me sinto mineira, hehe…Obrigada pelo poema, complementou muito bem o post, um abraço!

  71. Ana Lú..

    Oi Emília!
    Como boa mineira, tipo “bairrista”, não poderia deixar de comentar sobre esse post. Atualmente moro em Varginha( 3 meses) , adaptando a nova vida de E.T., diga-se de passagem nada de novo prá se ver por aqui. Tem a nave,isso mesmo uma cx d”agua ENORMEno centro da cidade em formato de nave, pode?!
    ADORO Tiradentes, desde menina frequento a cidade e mudou muito, para melhor.Vale mencionar o Festival de Cinema e o de Gastronomia.
    Ah! Diamantina tb é muito legal!!Tem a seresta e todo clima histórico que sabe como é..
    Beijos e obrigada por fomentar meu lado mineiro,ou seja,” bairrista de ser”.

  72. Emília

    Oi, Ana!
    Diamantina é hoje o meu maior desejo em solo mineiro, de preferência subindo desde BH, passando pela Serra do Cipó (onde já fiquei há muitos anos atrás) e seguindo pelas cidadezinhas: Milho Verde, Serro…
    E viva Minas!
    Um abraço e obrigada pela visita.

  73. Eliana

    Emília, há tempos quero fazer esse roteiro e esse post só veio reforçar o meu desejo. A cidade com aeroporto mais próxima é BH? Moro no centro-oeste (Campo Grande)será preciso ir de avião.

  74. Emília

    Oi, Eliana!
    O aeroporto mais próximo é mesmo o de BH, que fica bem perto da região de Ouro Preto e cidades vizinhas. Talvez você tenha que dirigir por mais tempo para atingir Tiradentes, que está bem mais ao sul…Mas é viável, dependendo do tempo que você tem disponível.
    Um bom planejamento!

  75. Eliana

    Obrigada Emília!

  76. Viagem

    Vivi alguns meses em Minas e foi com carinho que recordei esse tempos através de suas imagens e texto.
    Acho muito positivo você apoiar e divulgar essa reformulação do portal de turismo de Minas, com certeza a região terá mais pessoas interessadas depois de ler sua postagem. E eu com certeza voltarei…
    um beijo, Patricia

  77. Bianca Saia

    Olá Emília!
    Sou uma jornalista brasileira e estou preparando uma matéria para a revista http://www.brazilianwave.ca/ Brazilian Wave, uma revista brasileira bilíngue publicada no Canadá. O tema é mergulho e snorkel em Bonito.
    Tenho algumas perguntas e gostaria da sua ajuda para uma entrevista. Pode ser por email (de preferência) ou por telefone. Preciso das respostas até segunda-feira (dia 05 de setembro) no máximo.
    Seu blog é muito bom, a propósito!
    Muito obrigada e até logo!
    Bianca Saia

  78. Emília

    Obrigada, Patrícia e Bianca!

  79. Kyria Oliveira

    Olá Emília,
    É um grande prazer ler os seus textos!
    Irei em breve a Ouro Preto, embora já conheça a cidade, retornar após dez anos me deixa ansiosa e extasiada principalmente após ver as suas imagens e o seu texto.
    Abraços!

  80. Emília

    Kyria, já faz tempo que fiz esta viagem e adoraria rever Ouro Preto também…
    Boa viagem e um abraço!

  81. Dan - Muita Viagem

    viagem boa de mais da conta sô…
    já fez um tour pela centro de BH, capital deste estado comadre?
    Fizemos uma visita no Mercado Central de BH!
    Veja:
    http://muitaviagem.com.br/mercado-central-de-belo-horizonte/

Deixe uma resposta para Fê Costta - viaggio mondo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *