Grécia

Rodes – Ρόδος: Para voltar, um dia…

Último destino grego: Rodes. Uma das ilhas mais distantes de Atenas, mas muito próxima da costa turca, a apenas uma hora de catamarã de Marmaris (ou a um olhar da janela do quarto).
IMG_8359a
A própria história da ilha é uma grande sucessão de alianças com Atenas e com os persas (e também com os macedônios sob Alexandre, o Grande.) Foram conquistados pelos egípcios, estiveram sob comando do império bizantino e controlados na Idade Média pelos Cavaleiros da Ordem de São João, estabelecidos na ilha na época das cruzadas. Coloque nesta mistura uma boa dose (quatro séculos!) de ocupação otomana, até que os italianos fincaram o pé no começo do século XX. 
IMG_8473a
Rodes é grega. Mas é também italiana, turca…Ocidental e oriental. Uma mistura típica de lugares antigos, de passagem de povos, cujo resultado é absolutamente especial e intrigante.
IMG_8363a
Não existe lugar melhor para se sentir a delícia e a estranheza da mistura do que na própria cidade antiga. A sua estrutura claramente medieval se mistura com os minaretes das mesquitas…sempre com a ocupação grega moderna frente aos olhos. E é só sair um pouco das muralhas para conferir os prédios modernistas e art déco construídos pelos italianos.
IMG_8691a
A tentação de quem chega a Rodes é se deixar ficar na capital. E eu devo dizer que é difícil mesmo resistir a cada cantinho da cidade antiga, aos seus becos, igrejinhas, muralhas, praças…
IMG_8617a
Mas é preciso sair das muralhas e andar pelo porto, conhecer a cidade nova…Ir além, pegar o carro e percorrer a ilha, que é um bocado grande: por mais que se leia sobre a diversidade de paisagens e atrações, a surpresa é inevitável. Que pode começar pelo choque que é chegar a Lindos, segundo lugar mais visitado na ilha e um encanto de qualquer ângulo…
IMG_8472a
Sendo o lugar habitado mais antigo da ilha, fundamental é subir até a Acrópole de Lindos e suas ruínas. Mas também caminhar por suas pequenas vielas, espiando seus pátios através das grades, observando os pequenos detalhes das casas…
IMG_8429a
Mas quando você acha que a ilha está dada como vista, surge a oportunidade de continuar rumo sul, admirando as bonitas praias quase desertas que surgem aqui e ali…
IMG_8479a
…mas praias são outra atração bastante conhecida de Rodes. Mesmo fora de temporada, vários vôos charter aterrissam diariamente, entregando europeus do norte que se hospedam nos grandes hotéis da costa e rapidinho seguem para suas espreguiçadeiras.
Gostoso mesmo é escolher uma rota qualquer e curtir o deslumbrante interior.
IMG_8490a
Não é um lugar de onde se esperar grandes atrações. Mas é perfeito para quem gosta de dirigir tranqüilamente: as paisagens são inacreditáveis. Passe por pequenos vilarejos perdidos no meio do nada, coma em boas tavernas, tenha sempre água à vista, seja perto ou no mar que se vê no horizonte…
IMG_8579a
…admire o verde nos diversos tons, enquanto percorre a região vinícola…
IMG_8534a
…e não hesite em parar quando der vontade. Castelos em ruínas surgirão no seu caminho. Sítios arqueológicos também. Quando menos se espera, vem uma surpresa.
IMG_8523a
Rodes é grande, mas acolhedora. Talvez por ter recebido tanta gente na sua história…ou talvez pela hospitalidade e gentileza dos que vivem ali hoje. E é espetacular. E múltipla. E não preciso de mais motivos para querer voltar 😉

22 Comments

  1. Arnaldo - Fatos & Fotos de Viagens

    Emília, um lindo relato, noto uma certa melancolia, já que vc gostou tanto da Grécia e das ilhas gregas. Melancolia boa (se se pode achar boa a melancolia!) de ter gostado tanto de um lugar e ter desejo de voltar a ele porque sentiu que a ilha precisava de mais tempo.
    Aconteceu o mesmo comigo. Vou contar. Naquele fatídico cruzeiro que peguei um maremoto, a chuva que o antecedeu foi precisamente em Rodes. Ela, a tempestade, anunciava o que viria pela frente. Mesmo assim, visitando a cidade murada sob guarda-chuva, adore Rodes. E Lindos. E certamente adoraria retornar. Sem dúvidas pra dormir ao menos duas noites. E com tempo claro e ensolarado.
    Que paisagens curiosas e áridas, mas com uns tons de verdes ostosos e atraentes. Que estrada convidativa (aliás, que foto bem feita dessas curvas). Que castelos. Que paisagens rurais. Que ruínas. Que ilha!
    (que post!)

  2. Emília

    Arnaldo, eu me lembro da fatídica história…e que Rodes teve uma pequena participação nela (uma chuvosa participação, aliás). Mas pelo que você pôde ver lá, vale a pena esquecer essa difícil primeira vez na ilha e tentar uma nova vez.
    Eu fiquei três dias na ilha e consegui ter uma boa idéia, mas podeira ficar mais sem correr o risco de me entediar. Só a cidade antiga merece muitos passeios, ainda mais ao entardecer…as suas ruas em labirinto ficam especialmente românticas neste horário. Deve ser maravilhoso poder dormir em Lindos e curtir a cidade sem turistas, vendo o pôr-do-sol da Acrópole…
    E recomendo totalmente o interior, ainda mais para quem gosta de paisagens montanhosas e rurais, como você. Dá vontade de parar em cada curva para fotografar! É realmente surpreendente.
    Bem…acho que fiquei melancólica mesmo. Me arrisco a dizer que foi a ilha que mais me cativou, onde me senti mais à vontade, mais em casa. Eu realmente espero muito poder voltar um dia 😉
    Obrigada pela visita sempre gentil e querida…

  3. Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

    Eu dei uma passadinha aqui de novo, para reler (ou ler melhor) o texto que ontem já tarde da noite li.
    Ao rever as fotos fiquei certo de que Rodes é a ilha mais atraente para o meu gosto pessoal. Ela tem uma grandiosidade fabulosa, que se notam nas fotos.
    Aliás, as fotos estão bem enquadradas, selecionadas e refletem perfeitamente o que o texto transmite. Um complementa o outro, como deve ser num blog: textos complementados (ou enriquecidos) por fotos. Eu poderia assegurar que se um dia precisasse de uma co-autora você reúne característias essenciais para tanto.
    O texto tem está com informação histórica na medida certa, algo que sempre é um pouco difícil encontrar. Parabéns mais uma vez. Eu sei o quanto é penoso e trabalhoso editar, selecionar, publicar um post novo. E quando “nasce”, é um compromisso aidna maior com o próximo. E por falar em próximo, já será Istambul?

  4. eduluz

    Prof Emília, mais um post muito bom. E estamos no aguardo da Turquia também (olha a promessa!!). Terá que ser o próximo já que este era o último da Grécia, certo?
    1 – Muito legal a primeira foto. De relance, parece que se está vendo uma plataforma de lançamento de foquetes!! rs . Você subiu no foguete? rs
    2 – Que frutas são aquelas? Limão siciliano?
    Abs.

  5. Lucia Malla

    Emilia, com essa série de posts vc me deixou com vontade de conhecer a Grécia DJÁ!! 😀
    E Rodes… um capítulo realmente à (p)arte. Maravilha!
    Beijos.

  6. Emília

    Grandiosa…acho que esse é o adjetivo ideal para descrever Rodes, Arnaldo. Além de extremamente bela, oferece mil possibilidades, dificilmente alguém sairia insatisfeito com a visita.
    E me sinto totalmente lisonjeada com tantos elogios, ainda mais tão especiais, obrigada! Fico até vermelha 😳 É uma delícia poder escrever sobre um lugar que se gostou tanto e acho que o post é só resultado disso. Mas concordo…mesmo os menores posts exigem atenção com detalhes, pesquisa, escolha das imagens…enfim, carinho mesmo.
    E Istambul está chegando! Prometo 😀
    Edu, esta aí o Arnaldo para não me deixar mentir: Istambul é pedido forte aqui! A CarlaZ também vai fazer coro com vocês dois…Mas ainda tenho uns dois posts de Rodes e depois finalmente Istambul. Mas vou cumprir a promessa e te enviar hoje um pouco de material :mrgreen:
    PS1: Foguetes, rs…fica difícil ver um minarete de outro jeito depois disso 😆 A foto foi tirada da janela do meu quarto, de onde se tinha visão de toda a cidade antiga (o hotel fica dentro da própria).
    PS2: Não faço idéia! Estavam muito altas para serem roub…ahn, provadas 😆 Mas seja o que for, achei bem fotogênico!
    Lucia, que bom ver você aqui…sempre uma honra! 😀
    Por mais que você esteja num paraíso, deve ser interessante ver o contraste de uma costa totalmente diferente…eu acho essa combinação de mar e história muito atraente!
    Adorei o jogo de palavras 😉 E a visita. Um beijo!

  7. Carol Wieser

    Afff… Cada post que passa, eu fico mais empolgada com sua viagem à Grécia. Acho que esse lugar combina comigo… não sei porquê!!!!
    😉
    Beijos

  8. Arthur

    Na verdade os minaretes SÃO foguetes; foram instalados pela OTAN na época da Guerra Fria e disfarçados de minaretes. Podem ver que todos eles apontam para a Rússia, ex-URSS 😀
    E pena que o Colosso de Rodes desabou num terremoto na Antiguidade, senão teríamos mais um belíssimo monumento para visitar… mas a ilha já é um monumento em si.
    Abraços!

  9. Camila

    Emília, você escreveu de um jeito que parece que a gente está com você percorrendo a cidade, as estradas… E no final me deu uma certa melancolia também. Vontade de estar ali de verdade… ;-(
    Beijos!

  10. Emília

    Carol, Rodes é encantadora, não me admira que você tenha sentido uma identificação com o lugar. A ilha tem uma atmosfera muito especial (a cidade antiga, em particular).
    Arthur 😆
    Pô, desse jeito não dá certo…você e o Edu se encarregaram de acabar com o romantismo dos minaretes aparecendo na paisagem da cidade antiga (mas pensando bem, pela posição estratégica de Rodes, hmm… 😆 )
    Quanto ao Colosso, vou falar no próximo post, mas…ele não faz falta não, viu?
    Camila, pelo teu estilo de viagens (que acho que combina com o meu também), tenho certeza que adoraria conferir a diversidade de Rodes. É tanto lugar interessante que eu nem pensei em ir para a praia, para ser sincera…
    Beijos e uma boa semana! 😀

  11. Mari Campos

    Queridissima, seus posts sobre a Grecia sao tao intensos, tao poeticos, que eu acho que vc bem que podia comecar a pensar num livritcho, nao? Delicia de ler!

  12. Emília

    Mari, Mari…tô podendo, não 😆 Mas sonhar não custa nada, não é mesmo?
    Obrigadíssima, principalmente vindo de você 😉

  13. BrasiLéo

    Quanta imagem linda! Suspiros…
    Vontade de ir pra Grécia…em breve!
    Abs.

  14. Emília

    Em breve, Léo?
    Então os suspiros continuarão, pode ter certeza 😉
    Um abraço!

  15. Renata

    Senti viajando com voce.
    Adorei a descricao dessa ilha Grega. Sem contar, que voce juntou historia com viagem: uma combinacao mais do que perfeita para mim.
    Vou vir mais vezes por aqui.
    bjnhos

  16. Luisa

    Ah, Rodes…
    Ah, Lindos…
    ai, ai…
    Esse seu post me fez suspirar de saudades, està delicioso!
    Bjs

  17. Emília

    Renata, a combinação de história com natureza é imbatível…e Rodes é perfeita nisso!
    Obrigada pela visita 😀
    Luisa, eu tinha me esquecido que você tinha ido a Rodes! Mais um que não me deixa mentir: a ilha é mesmo muito especial. Voltaria facilmente 😉
    Aliás, vou fazer aqui uma propagandinha: quem tiver curiosidade com a Tanzânia, dêem um pulinho no Arquivo de Viagens para acompanhar a lua-de-mel da Luisa!

  18. Juh

    Iraaaado Milaa!!!

  19. Emília

    Fala, moça! 😀
    (Que bom ver amigos offline aqui, hehe…)

  20. Casal Raupp

    Lindos é um dos lugares mais lindos da ilha e um preferidos dentre os que já conheci. Acho que merecia um destaque!
    Tem várias coisas que gostei e outras que esperava mais em Rodes. Uma hora dessas faço uns posts lá no Inquietos sobre isso. Nós mergulhamos lá mas foi meio decepcionante, só vimos pedras! hihihihi.
    Seu post está excelente, eu vi o Arnaldo dizendo que você colocou informações históricas na medida certa e concordo plenamente (vindo dele é um puta elogio, né?). Pois eu nunca sei até onde devo dar esse tipo de informação ou até onde meu conhecimento permite me arriscar.
    Um abraço!!

  21. Emília

    Oi, meninos! Pode deixar que vai vir um último post grego, que é justamente Lindos e um pouco mais do interior. Esse foi só para dar o gostinho, hehe…
    É realmente um lugar especial…fiquei uma manhã e daria para explorar mais, pegar praia, ver a noite na vila.
    Mas uma coisa que não faria na Grécia é mergulhar: o pouco que fiz com snorkel não me animou muito a tentar com cilindro…pouca vida marinha.
    Com relação às informações históricas, eu procuro não colocar muita coisa: uma, porque não sou historiadora e posso comer bola, mesmo pesquisando em várias fontes; dois, porque nem todo mundo está no pique de ler tanto material deste tipo. Procuro dar o suficiente para entender o contexto do local e talvez criar a curiosidade para procurar mais, se der vontade. (E é mesmo um puta elogio mesmo vindo do Arnaldo, hehe…fico até vermelha 😳 E adorei o elogio de vcs também! 😉 )

  22. Sidenia Bevenutto

    Meu amor mora nesse maravilhoso lugar… onde a beleza com o romantismo FORMAM um duelismo perfeito!

Deixe uma resposta para Arthur Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *