Grécia

Aqui, ali e em toda a ilha

img_7967a
Santorini é uma ilha grande e, se quiser conhecer um pouco dela além do cantinho onde está hospedado, vai ter que escolher alguma maneira de se deslocar: a minha opção foi bem tradicional – aluguel de carro. Não recomendo usar os seus pobres pés: fazer uma trilha bacana é sempre um prazer, caminhar por uma estrada sem acostamento é tortura. Li também que o transporte público é escasso. Uma outra possibilidade, o quadriciclo, saiu da cabeça assim que os vi competindo a 10km/h, nas ribanceiras, com carros e seus motoristas impacientes.
Decisão feita, o simpático Micra seguiu ilha afora. Primeira parada em Fira para almoçar: o Sphinx é ótimo e a vista é aquela já sabida, ou seja: impecável. Umas olhadinhas desejosas nas joalherias de Fira e segui o caminho para finalmente conhecer as praias da ilha. Não que eu estivesse ansiosa por isso: sabia que não eram grandes maravilhas, mas queria pelo menos ter um gostinho. Depois de chegar em Perissa…uma saída rápida.
img_7944a
Não que fosse feia, sabe? Mas o visual pedra-cinza-com-visual-sujo, hmm…não foi convidativo. Não era uma praia paradisíaca ou particularmente animada. Poderia ter ido para Kamari ou Perivolos, mas achei que estava de bom tamanho.
img_7946a
Mas com uma certa praia eu estava curiosa: Praia Vermelha. E o nome não é à toa…Linda praia, salva a reputação da ilha. 
img_7960a
Ela fica bem ao sul, próxima ao sítio arqueológico de Akrotiri. Deve ser uma visita interessantíssima, mas a precariedade das instalações gerou alguns acidentes, entre eles um acidente fatal com um turista britânico em 2005. Desde então, as escavações se mantêm fechadas ao público.
Da mesma maneira que uma visita a Europa sempre causa algumas decepções aos fotógrafos, devido à quantidade de andaimes e tapumes das obras em restauração, a Grécia em particular reserva como surpresas os sítios arqueológicos que são fechados temporariamente. Aqui o Akrotiri, em Milos as Catacumbas…
A tarde terminava e desci até o porto principal, Athinios, que recebe os ferries.
img_7966a
Eu acabei herdando um gosto estranho do meu pai, que quando viajava sempre dava um jeito de passar um tempo observando estações ferroviárias e portos, a movimentação de gente para lá e para cá. Até hoje gosto de descobrir para quais destinos são as próximas saídas, imaginando o caminho, o objetivo dos passageiros: turismo, negócios, ver família…
img_7971a2
Mas não fiquei para o pôr-do-sol, devidamente aproveitado já em Oia. No dia seguinte, o último em Santorini, acabei não indo muito longe também: após aproveitar a última manhã na piscina, só para variar um pouco :mrgreen: , desci até o porto de Ammoudi, na base de Oia (e que vocês já viram no post anterior, numa das últimas fotos).
img_8032a
É um vilarejinho de pescadores que tem algumas tavernas na beira da água: são as psarotavernas (psaro=peixe), onde você vai até a cozinha, escolhe o(s) peixe(s) que serão convidados para a sua mesa, fala como serão preparados (grelhados, fritos etc.). A sua comida é pesada in natura e o resto do trabalho é escolher acompanhamentos e pedir uma cervejinha. 
img_8030a
O lugar é simples, assim como a cozinha, mas o ambiente é absolutamente relaxante. Nessa mesa da frente estava um casal, os dois ainda vestidos de noivos, comemorando com amigos e família. Deveria ter cumprimentado os felizes pombinhos, mas a minha cara-de-pau ainda não tinha vindo à tona 🙄
img_8027a
Talvez ela aparecesse com vinho: depois de subir até Oia e descer novamente, dessa vez em direção à planície, surgiu a Domaine Sigalas. Santorini é uma grande produtora de vinhos brancos, em especial a da variedade assyrtiko, que é endêmica da ilha: ele foi a base da maioria dos vinhos provados ali e fiquei fã.
img_8017a
Degustei dois excelentes brancos e um tinto, e também vinsanto, um vinho de sobremesa também típico dali. Um pouco doce e intenso demais para o meu paladar, mas ótimo na preparação de molhos para carnes (humm…). E se estiver ainda no pique, existem muitas outras vinícolas preparadas para oferecer degustações (só não recomendo a grande Boutaris, onde o atendimento foi inexistente.)
Além de todas estas particularidades na produção vinífera, Santorini tem sua paisagem tomada na maior parte por estes ‘ninhos de cegonha’:  esse formato inusitado de vinha foi a solução encontrada para enfrentar os ventos constantes e a maresia.
img_7958a
A essa altura estava quase virando abóbora: o tempo na ilha da fantasia já tinha se esgotado. Era hora de pegar as malas no hotel, dar uma olhada para trás com um suspiro e seguir para o aeroporto, próxima parada: Mykonos.
Antes da viagem, Santorini era, na minha cabeça, um grande clichê: casais em lua-de-mel em um lugar bonito, badalado e incensado pela mídia do turismo.
img_8014a
(Sim, é o mesmo casal que estava na taverna em Ammoudi 😆 )
Depois destes três dias absolutos e necessários, a conclusão foi que, se os clichês surgem, é por um bom motivo. E Santorini não é só hype: é tudo verdade mesmo. E muito melhor 😉

23 Comments

  1. Carla2

    Que delícia de relato!! Definitivamente tenho que voltar à Santorini!! bjs,

  2. Emília

    Carla, eu também!
    Mas tem tanta coisa na lista ainda antes de voltar à Grécia (suspiros)…

  3. Camila

    Viajar com tantas paradas lindas no caminho é maravilhoso, né?
    Também fico olhando as pessoas que viajam e imaginando o que estão fazendo ali… 🙂
    Beijos!

  4. ☆☆ Martinha ☆☆

    Eh, pode-se dizer que fechou a viagem com chave de ouro..
    Adorei esse ultimo post pela calmaria..
    As fotos estão pura tranquilidade..
    Sem muita badalação..
    Perfeito!!
    =)

  5. Diogo Pretto

    O que mais me chama atenção na Grécia é que, mesmo com uma areia dura e feia, qualquer cantinho fica paradisíaco!

  6. Emília

    Camila, esse hábito já é bem antigo…me lembro de, criança, descer até Santos para ver os navios se movimentando, tentando ler de onde eram…muitas vezes entramos no porto para ver se conseguíamos dar uma de bicões em algum navio e uma vez até deu certo, hehe… Bons tempos *suspiros*
    Martinha, Santorini é sossego puro, o clima da ilha é assim mesmo. Tem balada, mas é bem restrita a Fira.
    E eu adoro pegar o carro e fuçar os lugarzinhos 😉
    Diogo, o bacana é o ‘conjunto da obra’: as paisagens são realmente bonitas. Já as praias não são tão fáceis assim de usar. Para ser sincera, pegamos pouca praia na viagem, mas tenho que admitir que foi divertido testar o método europeu de veranear 😆

  7. Ernesto

    Emilia
    Parabens pela citação na Viagem & Turismo como um dos melores blgs de viagem, voce merece!
    A serie da Grecia está otima! v
    Um abraço
    Ernesto

  8. Emília

    Super obrigada, Ernesto! Preciso comprar para dar uma olhadinha 😉
    O bacana é ter muita gente boa na companhia da lista…
    Um abraço!

  9. Silvia Oliveira - Matraqueando

    Ai, adoro encontrar os clichês nas viagens que faço. Deus me livre viajar e não encontrar nada do que eu esperava! O ideal é encontrar alguns estereótipos turísticos e depois descobrir as novidades (ou diferenças) em largas caminhadas! Bjs!

  10. Carmen

    Emília, despois de ler os posts de Santorini estou desejando ir pra gostar de issos crepúsculos, do paisagem agreste e com personalidade, beber os vinhos da terra e degustar a comida a pé de água.
    Gostoso!!!!
    Bjs

  11. mikix10

    Bom saber que eu não era a unica que tinha essa imagem das ilhas gregas… nunca havia me interessando, devido ao que tanto se falam delas… mas estou ficando empolgadissima com seus posts e com o que estou lendo a respeito…
    Muito bacana!
    E essa praia vermelha arrasou… super diferente!

  12. Emília

    Silvia, eu também gosto de encontrar aquelas imagens consagradas: parece que um grande sonho se realizou e você se belisca para ter certeza de que está ali. Mas eu sou uma pessoa de birra, difícil de explicar: quando falam demais de um lugar eu perco a vontade de ir. É bom quando sobra um certo misteriozinho. Mas Santorini realmente me surpreendeu e fiquei felicíssima com isso 😉
    Carmen, se der de cara com algum branco de Santorini por aí, não pense duas vezes: pode experimentar sem medo! E foi ali também que melhor comemos na Grécia. Há muitos bons restaurantes e não nos arrependemos de nenhma escolha. As melhores pedidas nossas foram o 1800 e o Pelekanos em Oia, e o Sphinx em Fira.
    Mirella, ao vivo é muito melhor, te garanto! A possibilidade de ter tantas experiências diferentes é o que me atraiu tanto (além da beleza inacreditável que se encontra em todo lugar…)
    Beijos do Rio! (Cortesia do note de Lady Rasta 😀 )

  13. Mariana "de Toledo"

    Oi, Emília! Adorei conhecer vocês! Pior, menina, que nem deu tempo de comentar sobre essa sua viagem… Vai ter que ficar pra próxima. Espero que aproveite o Rio. 🙂

  14. CarlaZ

    Emilia, mais uma post pra deixar de agua na boca…As fotos estao tao lindas e posso viajar pelo menos um pouquinho por aqui…
    Adorei te conhecer!!!
    Beijos

  15. Luisa

    Emilia
    Primeiro um super parabens pela merecida citaçao na VT! Seu blog è mesmo fantastico e uma grande fonte de inspiracao.
    Acabei de voltar das ilhas gregas, to relendo seus posts pra “confrontar impressoes” e eles jà me deixaram com saudades!
    Mas, que diferenca de paisagem na temporada e fora dela! Nas minha fotos, a praia vermelha tà vazia, vazia. Nem uma misera cadeira pra contar historia! 🙂
    Bjs

  16. Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

    De Santorini não tenho lembranças (das duas vezes que fui) que me deixassem assim tão apaixonado e com vontade de retornar. É um dos destinos mais “está visto”de minha “carreira” de viajante.
    Já suas fotos!, quanta competência, beleza, sensibilidade e técnica (sim, mesmo que vc eventualmente NÃO saiba, tem ótimo enquadramento)….
    Já o texto, que beleza de ler, que agradável e com estilo.
    Parabéns por tudo, especialmente pela citação na V&T!

  17. Marcio

    Emília!
    Aiiiiiiiiiiiiiiiii que saudade de Santorini!!!
    O post está demais!!!!!
    Parabéns pela V&T!!!
    Bjão!

  18. Emília

    Finalmente conheci a famosa Mariana ‘de Toledo’ 😆 Adorei a botecagem conjunta com você e as meninas!
    Menina, depois de tanta conversa para lá e para cá, vou poder agora colocar um rosto ao nome! 😀 Carlinha, obrigadíssima pela companhia Rio afora: Chico&Alaíde, Garcia e Rodriguez, Lapa 40ºC… Já com saudades deste feriado delicioso!
    Luisa, fico até vermelha 😳 , pode ter certeza que é totalmente recíproco!
    Estou super curiosa com teus posts, é tão gostoso rever um lugar pela ótica de outra pessoa e ainda mais se ela escreve bem, hehe…
    Beijos para todas!

  19. Emília

    Arnaldo, como reagir a tantos elogios? E justamente de quem é inspiração? Ficando mais vermelha ainda, hehe 😳
    Só sinto não ter a máquina no Rio, os dias estavam mas foi até melhor porque pude concentrar mais em estar com as pessoas e curtir o momento. Tudo passa tão rápido, não é mesmo?
    De novo, muuuuito obrigada! 😀
    Marcio, teus posts foram inspiração antes e depois! É tão bacana conferir qual era a nossa idéia do lugar antes de viajar e confrontar com a realidade…
    Meninos, obrigada pelos cumprimentos pela VT! Foi uma massageada no ego desta blogueira aqui 😆

  20. Pingback: A Turista Acidental » Blog Archive » Grécia: Índice

  21. Liu Monteiro

    Quero um dia visitar a Grécia, mas me parece um sonho tão distante.

  22. cristina

    ola..estou indo para grecia..nao em lua de mel…meus pais e meus irmaos de 23 anos..* tenho 27..vc acha uma boa ficar em OIA? nao é muito esquema lua de mel ? ou em julho e agosto tem de tudo ? se puder me ajudar agradeço..bjss cris

  23. Emília

    Liu, toda viagem começa com um sonho…
    Cristina, Oia é mais romântica, mas nem por isso deixaria de indicar para outros viajantes, é um lugar lindo. Mas se você e seus irmãos quiserem aproveitar a noite, talvez Fira seja mais adequada, apesar de não tão bonita. As vistas são lindas nos dois cantos.
    Um abraço para vocês.

Deixe uma resposta para Marcio Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *