Grécia

Atenas – Αθηνα: reconhecimento de terreno

img_6319
Primeiro dia em Atenas. Com o cansaço de tantos deslocamentos, a preferência foi aproveitar o confortável hotel para dormir até mais tarde e tomar um lento café-da-manhã. A idéia também estar bem preparada para enfrentar a cidade. Não queria ser negativa, mas nunca tinha ouvido maravilhas sobre Atenas: alguns diziam que a cidade era suja e desorganizada, outros que era quente demais, ou então que era um lugar para bater cartão por um ou dois dias e seguir para as ilhas.
Para começar, levei um tempão para decidir sobre o hotel: que difícil! Pelas fotos os hotéis não eram muito empolgantes, a não ser os carésimos. Fora que a dondoca aqui queria porque queria ter vista para a Acrópole 🙄 Até que o grande Grécio, digo, Décio, provavelmente o homem que mais conhece do país por aqui (e autor do indispensável Guia Grécia), indicou o Athens Gate.
Gostei do hotel à primeira vista: novinho e muito bem localizado, do lado do metrô, de Pláka e da Praça Syntagma. E, além da super vista para o Templo de Zeus e Monte Lycabettus do nosso quarto, poderia admirar a Acrópole tomando o café 😎
img_6301 
Saí então para constatar a loucura do trânsito e a dificuldade de se encontrar taxistas…nenhum vazio parou. E a decisão de seguir a pé foi confirmada quando um deles, ao invés de usar o simples desprezo, começou a gritar e a gesticular, bravo. Ok, ok…você venceu, melhor voltar ao metrô. Que sempre se revelou a melhor opção de deslocamento, além do próprio par de pernas: como pode ser visto pelo mapa abaixo, as distâncias entre os principais pontos turísticos não é grande.
athens_map
(mapa de www.aathitya.in, mas eu acho que eles pegaram do site antigo do Lonely Planet).
A recompensa chegou logo: a primeira surpresa vêm da exposição de escavações arqueológicas encontradas no processo de expansão do metrô, que foi atrasado por muito tempo por conta dessas e outras.
img_6309
Aparentemente esses obstáculos foram resolvidos a tempo das Olimpíadas de 2004 (esperamos que da maneira correta…): quase não dá para acreditar na comparação do sistema atual com o antigo. Não deveria ser de uma super ajuda ao turista, como é hoje.
A exposição continua dentro da estação central Syntagma, com objetos de cerâmica e metal, mosaicos e um corte no solo revelando os resquícios das diferentes épocas de ocupação.
img_6314
Nas plataformas de embarque, réplicas dos famosos mármores de Elgin…
img_6973img_6975
… e já dentro do vagão, uma simpática voz que anunciava a cada parada: ‘Epomeni stasi…‘ 😀 (Para mim só perde para a voz forte do metrô de Barcelona: ‘Próxima estació: Cataluuuuña‘ 😆 ) Nem todas as linhas são novas assim, mas posso dizer que o metrô de Atenas entrou com louvor para o meu histórico de apreciação de metrôs 😉
Ele seguiu até a estação Victoria e mais uma caminhada de 15 minutinhos até o Museu Arqueológico Nacional, a atração principal do dia.
img_6347
O museu foi criado no final do século XIX para abrigar as principais descobertas arqueológicas do país, incluindo sítios como Micenas, Thira (Santorini), Delfos e muitos outros. É um dos grandes museus do mundo, abrangendo desde arte pré-histórica até peças dos primeiros séculos da era cristã.
img_6317
É enorme, portanto é melhor selecionar de acordo com os seus pontos principais de interesse. Para mim, uma das coleções mais fantásticas é a de arte pré-histórica, logo na primeira sala, que inclui uma ala só de figuras cicládicas, como essa abaixo: não é surpreendente constatar como a arte primitiva pode ser moderna? É só ver a obra deste moço aqui e deste aqui também.
img_6320
Seguindo no tempo, é também aqui que se encontram os achados da civilização micênica, como o afresco ‘A Dama de Micenas’, no topo do post, e peças diversas em ouro, como máscaras funerárias. A principal delas é essa no centro da foto abaixo, conhecida como ‘Máscara de Agamemnon’.
img_6316
Os lindíssimos kouroi
img_6325img_6327
(Gente, esse é um blog de família, mas não resisti à foto da direita 😆 )
Outros destaques são as esculturas de bronze, como esse magnífico Posêidon…
img_6328
…ou o Jóquei de Artemision, encontrado no mesmo local que a estátua acima.
img_6334
Ainda merecem destaque, entre as esculturas em mármore, esse Minotauro abaixo, além da enorme coleção de vasos no andar superior. Neste ao lado se pode ver Hércules, com sua pele do leão de Neméia, em alguma de suas aventuras…
img_6331img_6340
Mas uma das peças mais divertidas é essa escultura representando Afrodite, com a ajuda do seu filho Eros, repelindo as investidas de um fauno abusado com o chinelo (!) que acabou de tirar do pé 😆
img_6342
Há um bocado de outras coisas interessantíssimas, como o mecanismo de Antikythera, inventada para realizar cálculos astronômicos, mas se você quiser fazer uma pausa, há uma loja muito simpática e um restaurante à beira do jardim. Um lugar delicioso, onde até uma tortuguita passeava…
img_6344img_6343
Mas os planos para almoço eram outros….desci em direção à praça Omonia – ponto agitado da cidade -, passandopelo Mercado Central e virando à direita em direção a Psiri.
img_6355
Este é um bairro boêmio, cheio de tavernas tradicionais e barzinhos da moda. Queria ter a primeira refeição numa boa taverna e testei uma dica comendo na Nikitas. Já era tarde e mesmo assim havia muitos locais comendo, o que referendava o local. Me fartei com tomates e pimentões recheados, souvlákis e algumas outras coisinhas. Foi ali que experimentei a onipresente Mythos, que caiu muito bem no calorzão…e também onde tive o primeiro contato com essa coisa maravilhosa que é o tzatziki. Essa virou minha entradinha preferida, presente em quase todas as refeições na Grécia, acompanhando sempre pães deliciosos…Aliás, pães responsáveis por uma boa parte do excesso de peso corporal trazido de volta ao Brasil 🙄
img_6350img_6352
A cenografia não podia ser melhor: ruas para pedestres cheias de mesinhas, casarões antigos, igrejinhas ortodoxas em todos os cantos. Quem não adoraria ter um lugar assim sempre à mão, charmoso e cheio de história, onde se possa beber uma cervejinha com amigos numa noite quente?
img_6351
Reunindo toda força de vontade para sair de Psiri, continuei a volta de reconhecimento, que incluía também uma tentativa de se familiarizar com a língua grega…pude ter a oportunidade de, nesse primeiro dia, colocar em prática os estudos do alfabeto grego, iniciados no vôo até Atenas :mrgreen:  Mas a transcrição começou de maneira bem leeenta… 😀
img_6609 img_6610
Uma leve caminhada e se chega em Monastiraki, uma super área comercial onde se encontra de tudo: jóias, falsificações, souvenirs, sandálias de couro, roupas, restaurantes…para os que gostam de comprinhas é uma tentação! Até uma espécie de 25 de março você encontra lá, o mercado de pulgas.
img_6362img_6359
É ali, no limite entre Monastiraki e Pláka, que estão alguns dos sítios arqueológicos mais interessantes, como a Ágora Antiga e a Ágora Romana. Mas só iria visitá-los no dia seguinte…por hoje, só queria ainda sentir um pouco gostinho de Pláka, o bairro mais famoso e turístico de Atenas. Gostei do que vi à tarde e decidi voltar para jantar.
img_6390
E que decisão acertada! Pláka é um dos bairros mais deliciosos em que já estive e é ainda mais especial à noite, quando todos saem para jantar e em cada bequinho se encontra uma taverna, música, escadinhas com flores, igrejinhas ortodoxas…
img_6393
A caminhada terminou na Palia Taverna tou Psara, numa mesa ao ar livre, onde comi uma lula grelhada recheada com queijo e pimentões. Uma maravilha, realçada ainda mais pelo ambiente.
Voltei para o hotel na sombra da Acrópole iluminada…
img_6385

49 Comments

  1. Camila

    Emília, estou adorando seu jeito “slow travel” de viajar! 😉 E apesar do trânsito ruim vocês encontraram lugares super tranquilos. Psiri parece ser mesmo uma delícia!

  2. Eduardo Luz

    Espetáculo ! Caminhar, ver história ( ôpa, este H é maiúsculo !!), comer bem. Quer vida melhor !
    Lulas + Grécia . Que bela equação ! Só ficou faltando o bom vinho branco grego ! Vocês tomaram, né ?
    E o Mercado municipal como é ?

  3. Arthur

    Muito legal, pena os taxistas serem tão despreparados. Lembrou-me até ontem, saindo do trabalho, com chuva, em que por algum motivo estranho, nenhum táxi parava para mim…
    E a do “blgo de família” foi ótima! 😆 Igual às esculturas do Brennand em Recife :mrgreen:

  4. Carmen

    Emília, suas fotos do Museu Arqueológico Nacional são magníficas para comprovar que Donatello(seu San Juan Evangelista) e Miguel Ángel (seus David e Moisés) están em dívida com os escultores gregos só há que observar as esculturas do Kouroi e sobre todo o fantástica figura do Posêidon.
    Adoré as ruas para pedestres cheias de historia antiga. Bonito Atenas!!!

  5. Emília

    Camila, na verdade Atenas foi uma grande surpresa para nós. Ela é um pouco poluída, com um certo trânsito, bagunçada…mas nos encantou. Fiquei triste de ir embora de lá, ainda queria muitos jantares em Pláka e Psiri 😀
    Edu, nos esquecemos de mencionar o vinho! Com certeza pedimos um, e foi um retsina. Que não é um vinho sofisticado, mas muito típico e queríamos experimentar. Bem refrescante e casou bem com o lugar relax, hehe…provamos muitos outros depois, de várias partes do país, mas os de Santorini, feitos com a assyrtiko, merecem destaque 😉
    Ah, e pegamos o mercadão em plena hora da limpeza! Conseguimos ver alguma coisa, mas eu estava quase escorregando no chão na parte dos peixes…achei que não seria algo agradável e resolvemos sair 😆
    Carmen, com certeza a arte grega, de vários períodos, é influência maior nos artistas de toda a história humana. A beleza das peças é de deixar qualquer um admirando de boca aberta. Um museu para ser apreciado com calma, pena que nós, turistas, tenhamos que sempre selecionar, com o tempo contado…
    Um ótimo domingo para vocês! 😀

  6. Emília

    Arthur, mas tudo em nome da cultura 😆
    Aliás, o seu post do Brennand ficou uma beleza, guia total!
    Quanto aos taxistas de Atenas…acabamos usando umas duas vezes, depois disso, sem traumas. Mas quando precisamos deles uma noite para voltar de um espetáculo…cadê? 🙄 Ainda bem que tenha ótima sorte com eles aqui em SP…

  7. Ernesto

    Quando estive na Grecia, trocamos o canal de corinto, e as ruinas onde vivieu Hipocrates, pelo museu nacional, que não deu tempo para ver… Agora deu para rever Atenas e ir ao museu nacional…. Nos vemos quarta na Lucia!

  8. CarlaZ

    Emília,
    adorei que chegou a parte da Grécia…achei esse post de Atenas ótimo, muito diferente do que sempre vi, valorizando os barzinhos e tal. E até o metrô é um museu! Incrível.
    Beijos

  9. Emília

    Ernesto, também queria ir ao Canal de Corinto, mas não deu tempo, infelizmente. Vai ficar para uma próxima vez, numa exploração do Peloponeso…Dessa vez preferimos seguir rumo ao norte 😀
    Carla, obrigada! Eu achei Atenas muito animada, a vontade é de ficar pulando de um lado para o outro a noite toda…E Pláka, apesar de ser super turística, cheia de lodjinhas de suvenires, é também um lugar charmosíssimo. Um labirinto em que não é nada mau se perder 😉

  10. Sylvia Lemos

    Saudadiiisss 😆
    Os taxis ainda são coletivos ? Eles só paravam se a gente
    abanava com muuita vontade : waves !! era o mantra 😳
    As tavernas com mesas na rua ( literalmente ) , algumas parreiras e uma bagunça italiana são inesquecíveis .
    Faço parte da porção que ama a Grécia 😉

  11. Carol Wieser | Travel Forever

    Emília!!!
    A foto do Kouroi de perfil ficou ótima!! 😀
    Tenho muita vontade de conhecer a Grécia, mas nunca havia pensado em começar um passeio por Atenas… minha tendência é sempre ir pro lado da praia…
    Mas foi bom conhecer um pouco mais de Atenas, e claro um bocadinho de história e museus fazem muito bem pra gente. Tudo que envolve a civilização passada é intrigante e fascinante!
    Beijos

  12. Emília

    Sylvia! Bom te ver por aqui, moça 😀
    Olha…eu não consegui entender os táxis de Atenas, não. Não sabia que tinha alguns coletivos! De qualquer maneira, procuramos fazer praticamente tudo a pé, inclusive sair à noite. Já que acabamos sempre terminando em Pláka, era só andar um 5 minutinhos até o hotel.
    E uma coisa que eu sabia que iria sentir muita falta é esse clima de comer no meio da rua, ao ar livre, plantas do lado e alguns gatos também, hehe…
    Eu com certeza estou do lado que ama também 😉
    Carol, Atenas é totalmente básica! Não só pelos monumentos, que são tantos e imperdíveis, mas pelo clima da cidade em si…Eu também achei legal começar a visita pela capital, já sentir a receptividade das pessoas, a comida, a língua. A única coisa que pode atrapalhar um pouco é o calor, sufocante no meio de setembro (eu imagino em julho e agosto!). Combinado com a poluição, não é realmente delicioso. Mas aí dar para tomar uma cervejinha ou um frapê (café gelado, que eles adoram…) 😉

  13. Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

    Afinal, vocês gostaram dos gregos e de Atenas ou apenas por estarem em viagem (quando e onde quaser tudo é bom) “aceitaram”?
    Evidentemente que seu relato é favorável, mas queria muito saber se a cidade e o povo e a estrutura “encantaram” a vocês como a França e Istambul.
    Eu acho que destinos e cidade são incomparáveis, dado suas especificidades tão únicas, chego a achar estranho alguém dizer coisas como “Paris é melhor que Barcelona”, por exemplo, porque são absolutamente incomparáveis. O certo, na minha opinião, é se dizer “”Prefiro Paris a Barcelona”, por exemplo. E a impressão e o que se capta de uma cidade depende de caa um, e cada um é, igualmente, aboslutamente incomparável, como flocos de neve ou impressões digitais.
    TUDO isso pra dizer que seu relato está excelente, bem escrito e agradável. Nos faz viajar com vocês, silenciosamente. Mas o que eu queria MESMO saber é: vocês amaram a Grécia e os gregos? E se fossem obrigados a comprar Atenas a Istambul? O que me diriam?
    Grande abraço!

  14. Emília

    Nossa, Arnaldo, agora você me colocou contra a parede 😆
    Olha…Istambul virou hors-concours, me apaixonei pela cidade, você sabe. Mas Atenas me surpreendeu muito positivamente! O ‘clima’ da cidade é muito festivo, além da própria beleza dos sítios arqueológicos, o peso inegável da sua história…realmente me deu um pontada de saudade na última noite, depois de 3 dias batendo perna por lá e outros dois no interior.
    Outra coisa: felizmente nós praticamente não tivemos experiências negativas com as pessoas por lá. Tirando alguns taxistas de Atenas e uma atendente da Olympic, todos nos trataram muitíssimo bem por lá. O atendimento em todos os hotéis foi impecável, até mesmo familiar em alguns deles. Em alguns serviços e restaurantes era mais impessoal, mas mesmo assim tivemos a sorte de encontrar algumas pessoas muito especiais, que dariam uma bela lista!
    Eu amei a Grécia…experimentamos inúmeros momentos inesquecíveis por lá e quero voltar ainda muitas vezes.
    Agora…é a minha vez, hehe: você teve alguma experiência negativa por lá ou foi só o feeling geral que não te agradou, o ‘espírito’ do lugar que não bateu com o seu? Fiquei curiosa 🙂
    Um abraço!

  15. Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

    Emília, eu sou do grupo que detesta a Grécia. Tenho um amigo, cujo nome, veja só, é Platão!, que foi à Grécia anets de mim e voltou com a maior raiva. Eu fui a Atenas uma vez e espero não voltar. É um dos lugares “está visto” do meu currículo de viajante por 40 países e 160 cidades no mundo.
    Todavia, tenho o maior respeito pelo gosto alheio, que não se discute. Tive experiências desagradáveis sim, nada que detonasse a viagem, mas em termos de antipatia, o grego está no primeiro lugar d aminha lista, depois do espanhol (e olha que a Espanha é um dos países que mais gosto no mundo!).
    Tenho plena convicção de que as pessoas podem amar aquilo que detesto, simplesmente apaixonarem-se por algo que pra mim foi mediono oufracom, por exemplo. Ainda na Grécia, cito o caso de Santorini, o sonho dourado de meio mundo, mas pra mim, é mais uma “está vista”. Quer outra unanimidade mundiual, sonho de todo mundo, que fui 4 vezes e está longe de figurar entre as dez cidades que mais gosto no mundo? Veneza! Eita povo grosseiro o veneziano e cidade mal cuidada Veneza.
    Como gosto não se discute, aí vão alumas de minhas prediletas: Paris, Praga, Barcelona, Havaí, Rio de Janeiro, Cape Town, Istambl, Malta, Lisboa, Bangkok…
    Outro exemplo de experiência decepcionante, que eu estou vivendo exatamente NESTE momento: St. Martin/St.Maarten. Se tirarem o mar do Caribe não sobra nada! Dá uma passadinha lá pra ver no Fatos e Fotos.
    Grande abraço e grato pela resposta!

  16. Emília

    Arnaldo, são muitos os fatores que podem definir a experiência em cada lugar: contato com as pessoas, a beleza do local, clima, nosso estado de espírito no momento…Fora o nosso próprio gosto particular, que nos faz amar um lugar (e achar que você já viveu ali em outras encarnações, hehe…) e achar outros somente ok, ou detestáveis. Eu tive a sorte de ter vários fatores positivos na minha viagem, além de um histórico antigo de atração pelo país (quando era menina, era o país número um na minha lista). Mas entendo perfeitamente…e devo dizer que a minha lista de lugares prediletos bate com o seu, mas claro que falta conhecer muitas delas ainda 😉 Um dia quem sabe…

  17. Silvia Oliveira

    Que delícia de texto! Já estive duas vezes em Atenas… mas era uma época tão sem dinheiro (hahahahah). Queria voltar com mais dimdim para aproveitar o lugar ficando em bons hotéis e apreciando a comida grega em lugares decentes! Abs querida! Seu blog é um show!

  18. Emília

    Oi, Silvia! Aposto que mesmo com o $ contado você deve ter se divertido um bocado 😀 Mas a gente também merece um conforto 😉
    Obrigada pelos elogios!

  19. Rui Lopes

    Um português a atravessar a América de sul a norte durante mais de 2 anos
    http://viajardemoto.blogspot.com/

  20. Majô

    Emília, tomar café da manhã com vista para a Acrópole deve ser tudo !!!
    Seu post está belíssimo, dá para acompanhar vocês e “sentir” Atenas 😆
    Esta estação de metrô é bárbara. E que ruelas e restaurantes gostosos para sentar e ver a vida passar, delícia. Sem falar nas preciosidades históricas emocionantes 😆
    beijos

  21. Emília

    Oi, Majô, obrigadinha 😀
    Dá muitas saudades dos almoços e jantares ao ar livre…muitas vezes com vistas lindíssimas. Faz uma falta, chuif…
    Beijo!

  22. Sylvia Lemos

    Emilia , voltando aos taxis atenienses , eles são de uso coletivo para os locais . Cada um paga a parte que lhe cabe no trajeto .O taxi só vai parar na rua , se o turista tiver aparencia de habitante . Por outro lado , se desejar um taxi para uso exclusivo , o mais simples é parar na porta de um hotel qualquer e solicitar ao porteiro . Ou , pedir por telefone ( muitos dos fones publicos tem linha direta com as empresas de taxi ) . Os motoristas que atendem os hoteis , falam ingles , enquanto que a maioria só fala grego.
    Neste caso , é preciso ter o endereço do destino escrito em grego.
    Para ser confundido com um habitante local , é preciso alem de não estar vestido de turista , acenar energicamente com os braços em ondas ( esta é a forma que os atenienses usam).
    Quanto as vivencias com o povo , nunca tivemos nenhuma
    experiencia negativa , pelo contrario , sempre nos sentimos em casa e sempre fomos recebidos com carinho e atenção .
    Então , a beleza , a historia , o clima perfeito nos meses de maio , a comida deliciosa e o povo afetuoso , fazem da Grecia – para nós – um destino absolutamente perfeito para férias .

  23. Guta

    Emilia fiquei morrendo de vontade de dar uma volta em Psiri ou Pláka agora viu!hehe
    E olha, pelo seu relato não vejo ainda pq tanta gente acha que Atenas “ta visto!”, como o Arnaldo falou ai em cima!
    Sera que eh pq a gente tem uma impressão e uma expectativa muito grande, pq eh a Grécia?! O berço da nossa civilização!!! Não sei, mas acho que eu vou ter que pagar p ver viu!ehehe
    bjus

  24. Emília

    Sylvia, esse é um verdadeiro manual de como usar táxis em Atenas! Juro que não sabia de todas essas particularidades…Ainda bem que ainda consegui alguns no meio da rua, pelo jeito foi pura sorte, hehe…Com esses poucos não houve praticamente conversação, talvez pela dificuldade deles com o inglês, mas também porque estava com medo que mordessem 😆
    Guta, eu também! Com esse calor que fez hoje, um jantar ao ar livre, num lugar charmoso, não seria mau 😉
    Com relação às expectativas, eu nem tinha tantas e me surpreendi. Várias vezes acontece isso, não é mesmo? O oposto também é válido e acho que sua teoria é válida. Mas tem que ir para conferir, é, com certeza, uma cidade única.
    Beijo pra vocês! 😀

  25. Elisa

    Oi Emília,
    gostei muito do texto (como sempre) e também de todos os comentários que estão enriquecendo a “descrição” de Atenas, que para mim é uma cidade ótima e fiquei feliz de saber que tem pessoas que concordam comigo, pois muitos amigos meus que foram antes de mim não me recomendaram. Minha amiga Tatiana que foi um verão antes de mim não suportou e me disse do quanto passou mal com o calor e o povo.
    Eu como já sou absolutamente acostumada com calor não tive problemas (mas fui no fim de maio e fiquei até início de junho). Sobre o povo e em especial sobre os taxis já fomos perfeitamente advertidas pela tia de minha amiga que é casada com um grego e onde ficamos hospedadas. E só para ilustrar de como eu gostei dos gregos vou te contar: Minha melhor amiga de infância e de muitas viagens (isso até ela ter filhos) tem uma tia casada com um grego e fui com ela e a família. Minha imposição foi ficarmos em um hotel já que o apto iria estar lotado. Mas só ficamos uma noite, pois o marido saiu do próprio apto para ficar na casa dos pais enquanto nós ficávamos bem acomodados. A família dele, como irmãos e primos, super simpáticos, até foram comprar CDs de músicas gregas comigo.
    Aproveitamos muito todos os bares e restaurantes de Plàka.
    Muito boas as dicas da Sylvia, foi exatamente como nos explicaram e assim nos pegamos vários taxis “coletivos”, sem nenhun problema, achei até muito interessante isso.
    Sim, e eu vim aqui tb pra te desejar um feliz Natal e um ano novo cheio de realizações e sonhos. Beijinhos

  26. Emília

    Elisa, que bom ouvir que vocês foram bem recebidas por lá…Eu acredito que deve ser um povo mais reservado, mas que quando conhece e gosta, faz tudo para agradar. Estar num país em que se é guiado por gente local, é sempre um privilégio 😀
    Um beijo para você e sua família!
    E um super Natal para todos os visitantes desse blog, constantes ou ocasionais, comentaristas ou discretos. Um 2009 cheio de lindas viagens para todos! 😀

  27. CarlaZ

    Emília,
    passei aqui pra deixar Feliz Natal!!!
    Beijos

  28. Camila

    Oi, Emília! Boas festas pra você e sua família também! Que 2009 venha recheado de muitas viagens! Qual será a cor que a gente deve usar no Reveillon pra atrair? 😉

  29. Emília

    Carla e Camila, um beijo e um lindo ano novo para vocês e muitas viagens para todos nós!
    PS: Camila, por via das dúvidas, muito colorido 😆 Para os não adeptos do branco, claro! 😉

  30. Carmen

    Feliz 2009!!!

  31. eduluz

    Emília, passando pra desejar um Feliz Ano Novo e que em 2009 continuemos vendo/lendo as aventuras de turistas não tão acidentais assim !!
    Abs.

  32. Arlete

    Olá Emilia,
    sou sua leitora oculta…. A conhecida do Mark do Fran´s.
    estou adorando a descrição da sua lua de mel!!!
    desejo um ano repleto de viagens .
    bjs

  33. Meilin

    Emília, tô meio ausente, mas vou aproveitar janeiro pra viajar junto com você! Muita sorte e sucesso em 2009, Beijins

  34. Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

    EMÍLI, quero que você receba nossos votos de que seu ano novo seja repleto de saúde e que todos os seus sonhos possíveis depressa sejam realizados.

  35. Emília

    Carmen, um lindo 2009 para você…daqui a umas duas horinhas 😉 Grandes viagens e muita felicidade para você, moça!
    Edu, um lindo ano para você, a Débora e a Renata! Tudo de bom para uma família melhor ainda 😀
    E Arlete! Bom saber que você deixou um comentário aqui…você ser minha leitora é uma daquelas boas surpresas que o blog traz 😉 Um 2009 maravilhoso para você!
    Meilin, tá sumida mesmo, moça! Tá precisando vir para SP para mais uma convenção animada. Um grande beijo e toneladas de coisas boas 😀
    Arnaldo, saúde para todos nós para aproveitarmos a vida, curtirmos nossos amigos e famílias e viajar muito! Um grande abraço para você, a Alice e toda a sua família!
    E a todo mundo…muitas vibrações positivas! Vamos fazer de nosso próximo ano um grande ano. Beijo para todos!

  36. Casal Raupp

    Epomeni stasi… hahaha
    Emília, eu e meu marido também “colecionamos” frases de metrô.
    Acho que você vai gostar do metrô de Berlim, acho que ganha de Barcelona no quesito frases, viu? E como não entendemos bulhufas de alemão não me arrisco a tentar escrever a tal frase deles.
    Mas eu achei o metrô de Atenas bem mais ou menos. Principalmente para quem vem do aeroporto. Já o de Berlim, além das frases, para mim é um dos melhores que já conheci. Aliás, todo o sistema de transporte público de Berlim é impecável. Eu moraria lá sem pensar duas vezes.
    Bom, não curtimos muito Atenas, é um lugar que não perderia muito tempo. Já Santorini acho simplesmente maravilhosa. Vistas de tirar o fôlego. Acho um pecado quem vai para lá de navio para passar apenas uma tarde. Mas também acho que 4 dias já está mais do que bom, ainda mais para quem está de carro.
    Nós fizemos vários posts de Santorini em nosso blog. Fomos também para Rhodes, mas ainda não deu tempo. Temos 13 países para colocar no nosso blog recém iniciado, aos poucos a coisa anda.
    Abraço.

  37. Pingback: Grécia: Índice « A Turista Acidental

  38. Rita Marcondes

    Estava fazendo uma pesquisa no google e caí na sua página….moro em Atenas há dois anos e adorei a maneira como vc descreveu o seu primeiro dia em Atenas….e acredite que, mesmo morando há algum tempo, cada vez que vou à Plaka tenho essa deliciosa sensação…adoro aquele lugar!! Não sei se vc chegou a subir o Monte Lykavittos, e caso não, eu sugiro como parada obrigatória na sua próxima vinda à Atenas, a vista noturna que se tem da cidade e de Acrópolis é simplesmente maravilhosa!!!
    Um abraço

  39. Emília

    Rita, no meu próximo post eu falo da minha subida ao Lykavittos…um final de tarde inesquecível! E Pláka…que saudades, um dos lugares com atmosfera mais gostosa onde já estive. E você pode aproveitar e jantar lá quando quiser 😉
    Vou dar um pulo no teu blog para relembrar da cidade…um abraço!

  40. Pingback: A Turista Acidental » Blog Archive » Grécia: Índice

  41. GUGA E MONICA

    Iremos em 12 de junho para ATENAS, MYKONOS, SANTORINI, mini cruzeiro TURQUIA (Éfesos) e por aí vai…
    Ansiosos, claro….
    Valeu pelas dicas e esperamos novas sugetões…

  42. Emília

    Oi, Guga e Mônica!
    Infelizmente não tenho novas sugestões, ainda não voltei para a Grécia, mas podem dar uma olhada no Guia Grécia, no blogroll, e no site do Matt Barrett: http://www.greecetravel.com/matt-blog/
    Espero que tenham uma viagem incrível!

  43. Roseli

    Oi, Emília. Gostei muito de seu blog. Através dele tb planejei nossa viagem (meu marido e eu). Iremos a Atenas dia 21 de agosto. Quero dividir contigo nosso planejamento e ouvir opiniões. Dividimos nosso tempo assim: 3 dias Atenas, mais 3 em Mykonos, 3 em Paros, 3 em Santorini, 4 em Istambul, mais 1 em Atenas(aeroporto) e depois 4 em Paris, voltando dia 12 de agosto. Vamos de milhas até Atenas. Os trechos internos fiz pelo site Easygroup, Edreams. Vôo de Santorini a Istambul(conexão em Atenas)por EUR 120,00; e Istambul-Atenas por EUR 77,00; Atenas a Paris por EUR 120,00
    Em Atenas ficaremos no Athens Gate. Pergunto: qual é a melhor forma de vir do aeroporto ao hotel? O hotel fica bem localizado? Como recomendas ir a Mykonos? High speed ou ferry normal? Embora tenho reserva em Paros, ainda não estou convicta de que é a melhor opção p gastar 3 dias entre Mykonos e Santorini.
    Abraços
    Roseli

  44. Emília

    Oi, Roseli, espero que minha resposta ainda te pegue no meio do planejamento.
    Primeiro, achei muito bacana o teu roteiro e o tempo para cada ilha está legal. Com 3 dias em Atenas dá para ver todo o essencial e mais algum extra e talvez você queria ficar mais em Istambul, hehe…Mas com 4 dias você vai conseguir curtir bem a cidade.
    Vamos lá: o Athens Gate fica muito bem localizado, em uma borda de Plaka, que é o lugar mais simpático de Atenas (mais turístico também, como é de praxe). Com cinco minutos de caminhada vocês vão estar no meio de tudo. Em dez vocês estarão na praça Syntagma, centro da cidade. Fiquei com medo dos taxistas atenienses e fui de metrô: peguei na estação do aeroporto e fui até a estação Akropoli, que fica a umas duas quadras do hotel. Veja somente a quantidade de bagagem de vocês, eu tinha uma mala pequena e foi fácil.
    Sobre os barcos entre as ilhas, não posso falar muito pois só usei o avião. Acredito que os catamarãs sejam melhores, pelo que ouvi algumas travessias são longas no ferry normal.
    Já quanto a Paros…talvez seja melhor você pesquisar um pouco antes de bater o martelo. Ler guias, procurar as fotos na internet, dar uma olhada no site do Décio (Guia Grécia do meu blogroll) talvez sejam as melhores recomendações para você achar uma ilha pelo qual se apaixone. Já tinha ouvido coisas bacanas de Naxos, Patmos, Folegandros, Koufounissi, além de Milos e Rodes, que eu visitei. Acho que você tem que pesquisar e sentir uma identificação com a ilha, uma vontade de conhecê-la maior que as outras (falar é fácil, eu mesma sei que foi difícil cortar as que eu tinha na minha lista…)
    Espero que você faça uma grande viagem, um abraço!

  45. Roseli

    Oi, Emília. Agradeço muito sua resposta. Programamos ficar 3 dias em Paros e de lá pegaremos ferries diários para as ilhas próximas, se tudo der certo. Assim, acredito que faremos uma viagem mais tranquila, sem muita correria. Locamos carro em Santorini por 30 euros o dia. Pegaremos no porto e iremos ao hotel Filotera Villas em Oia. Agora estou procurando locar carro em Mykonos e Paros Mas não estou encontrando, só mesmo direto no Hotel, q acho muito caro (60 euros/dia – quero por 30). Já faz mais de um mês que espero resposat de Drossos rent a car. Mas até agora, nada de concreto. Alguém me ajuda???
    Abraços.

  46. Emília

    Roseli, não poderia falar sobre Paros, mas em Mykonos eu aluguei de uma locadora indicada pelo hotel e foi na faixa de 35 euros, pelo que eu me lembro. De qualquer maneira, existem várias locadoras nestas ilhas principais, é só jogar no google e aparecem pelo menos umas dez em Mykonos, tente contato com elas.

  47. Ila Fox

    Emília, estou amando seus posts! Duvida: Quando foi feita esta sua viagem para Grécia?
    Beijos!

  48. Emília

    Oi, Ila! Minha viagem foi em 2008.
    Um abraço e obrigada pela visita!

  49. Antonio Henrique Dantas Silva

    Confesso que só vejo os blogs de viajantes para evitar as surpresas, mas o seu blog está fantástico.
    Tenho esse costume de viajar, minha infância foi numa cidade do interior de Pernambuco, e nessa época eu viajava através das enciclopédias e filmes que via num cineminha próximo à minha casa.
    Hoje, minha profissão, talvez por causa desse meu hábito de leitura e curiosidade em saber como eram as pessoas de outros países, me levaram a cursar Geografia, Bacharel e Licenciado, pude cumprir minha sina de cigano, viajei por alguns dos lugares que você visitou, no meu caso eram os Simpósios e Workshops de Climatologia, Geografia e coisas ligadas à Terra. Um desses lurares que nunca me esquecerei foi a Costa Rica, onde pude ver as esferas de pedra e vulcões em atividade, depois foi Lima, Cuzco e a MAGNÍFICA Machu Picchu sem falar de Olantaytambo. A Europa já me deixou com saudades e gostaria muito de voltar, principalmente para Carcassonne. Outro lugar que não pude conhecer foi Paredes de Coura, Portugal, lugar de origem da minha família.
    Estou ouvindo música Sufi, para combinar com com a Turquia, próximo alvo da minha curiosidade, que além de Istambul quero conhecer o interior onde a história se impregnou na paisagem.

Deixe uma resposta para A Turista Acidental » Blog Archive » Grécia: Índice Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *