França

Procurando BB

 
img_5883
Quando se pensa fala em Saint Tropez, pensamos em…Brigitte Bardot. Assim como fez com Búzios, a musa transformou o pacato vilarejo de pescadores em destino-desejo de artistas, milionários e celebridades em geral. Ela chegou em meados dos anos 50, para as filmagens de …E Deus criou a mulher, ponto de virada de sua carreira. Depois de seduzir os homens e escandalizar a igreja com o filme (dirigido por seu marido Roger Vadim), BB e Saint Tropez nunca mais foram as mesmas.
saint-tropez_map
(mapa de www.frenchfriends.info)
É, os tempos de vilinha charmosa e quase desconhecida ficaram para trás, mas a beleza da cidade e sua fama de lugar glamouroso continuam atraindo especialmente artistas e também anônimos desejosos de sentir o clima de ‘St Trop’.  Desde que decidi ir para o sul, então, sabia que ela seria um dos poucos cantinhos a quebrar a rotina de descanso puro. Era tão perto, uma tentação: 15 minutos de carro ou menos de meia hora de barquinho-táxi saindo da capitania de Port Grimaud. Acabei gostando tanto que fiz várias visitas.

A primeira foi de barco, passeando pelo golfo: a cidade é discreta e elegante com suas casas em tons terra. Os enormes iates no Vieux Port parecem destoar um pouco da paisagem, em tamanho e quantidade maiores que o recomendado para uma cidade tão delicada. Ainda assim é uma bela combinação, assim como a citadela do séc. XVI e as maravilhosas casas de veraneio, que podem ser vistas de barco, à distância.
Mas nada como colocar os pés em terra e ver tudo de pertinho, então no dia seguinte peguei a navette e logo descia no mítico porto. Tudo muito divertido: turistas andando para lá e para cá, os donos dos iates se exibindo nos próprios… 
 
 

…ou comendo nos restaurantes branchés ao longo da marina…

…a maioria fazendo comprinhas, de todos os tipos   :mrgreen:
Quem chega a Saint Tropez pela primeira vez e bate perna pelo cais tem a impressão de que esse é o real espírito do lugar. Na verdade, as ruas agitadas das marinas velha e nova fazem parte de um lado da cidade: o outro você conhece ao se perder pelas ruas estreitas da vila medieval.
 
img_5974img_5981
Ali, a poucos quarteirões do burburinho, é possível encontrar ruas desertas…
 

…e pracinhas encantadoras.
img_59801
Uma coisa muito boa de se fazer é xeretar os ateliês e lojinhas charmosas, num esquema bem diferente do enxame de marcas luxuosas que vimos ao chegar. Os artistas e donos de lojas gostam de bater papo e estavam planejando uma festa ao ar livre na pracinha mais fofa dali, dois dias depois.
Outras recompensas de andar pelos bequinhos de Saint Tropez é dar de cara com cenas como essa 😀

…ou ver casas como essa aqui.

É numa dessas ruazinhas que fica a principal igreja, com sua torre colorida facilmente identificada de longe, desde o golfo…

Dá para andar horas sem cansar, curtindo cada pracinha, admirando as construções medievais e as casas com fachadas cobertas por primaveras floridas, fuçando em uma lojinha bacana. Ou comendo uma tarte tropezienne, hmm…
img_6002img_6001
Com certeza teria ficado até à noite se tivesse vindo de carro. Mas a última navette saía um pouco depois das 5, então era hora de voltar, mas com vontade de ficar mais…
img_5992img_59961
 
No último dia voltei, mas não para a cidade: íamos até a badalada praia de Pampelonne para almoçar no Club 55, um clássico da família e perfeito para o almoço de despedida. Este é um dos restaurantes mais antigos de Saint Tropez, tendo sido criado especialmente para atender às estrelas e equipe de filmagem do já citado filme de BB, sendo o nome uma homenagem ao ano em que a estrela e seu marido chegaram à vila.
img_6148img_61531
Apesar da clientela endinheirada que chega nos carros mais incríveis ou de barco, o lugar é bastante relax. O ambiente é delicioso, sendo as mesas dispersas por uma área cheia de árvores e não totalmente coberto. Perfeito para beber o tradicional rosé e escolher com calma o que comer num menu pequeno, mas cheio de sugestões de dar água na boca. Fui de moules marinières e steak tartar.
img_6156
Depois do almoço, dar uma volta pela praia em frente ao restaurante…
img_6159
A praia de Pampelonne é extensa e cheia de bares de praia e restaurantes charmosos. É limpa e a água, azul-turquesa, barquinhos ao fundo. Eu, se fosse você, reservaria um dia para bronzear seu corpinho aqui nessas areias  😉
img_6161

_______
Outras viagens…

Existem muitas outras possibilidades de esticadas ao longo do litoral sul, a partir do Golfo de St Tropez.
cote-d-azur-map
(mapa de www.villacotedazur.info)
Em um dos dias no sul da França viajamos cerca de uma hora e meia até Cap D’Antibes, para onde fomos convidados para passar o dia. É um península num canto muito calmo e exclusivo da Côte D’Azur. 
img_6092
Ao contrário de Saint Tropez, onde há muito espaço para passeios na cidade e praias para tomar sol, Cap D’Antibes é mais indicada para quem tem uma casa lá ou pode se dar o presente de mergulhar na piscina lindíssima do hotel Eden Roc.
Do farol é possível ver outras cidades perfeitas para bate-e-volta: Cap D’Antibes está entre Cannes, com seu festival de cinema (mais uma vez indico o Beto, que esteve conferindo o burburinho) e Nice, com Mônaco logo ao lado.
img_6104img_6099
Dá para ir a Grasse, Saint Paul de Vence (e Vence)…com um pouco mais de disposição, dá para ir a Marselha ou Aix-en-Provence. As ofertas são inúmeras, você é quem manda  😀

19 Comments

  1. Lucia Malla

    Emilia… agora vc me acendeu uma vontade de um branché… q delícia! 😀
    Estou amando seguir sua viagem. Beijão.

  2. Emília

    Lucia, eu também quero! 😀 Mas estou de dieta, chuiff..
    E falando em Mediterrâneo, a água é maravilhosa, transparente, não dá para não pular…mas infelizmente a quantidade de vida marinha, tanto na França quanto na Grécia, deixou muito a desejar 🙁

  3. Carmen

    Um lugar muito “chic” com “charme”. Uma delícia para a vista e seguro que para o paladar. Visitar issa zona é um acerto (levo em conta, outra mais)

  4. Debora

    Que lugar delicioso. E a cena dos cachorros no porta-malas é a minha cara ! 🙂
    Bjs!

  5. Carla

    Emília, a única vez em que fui a St.Tropez eu tinha ficado com uma péssima impressão… É a velha história dos bate-e-voltas que podem dar errado – saí de Nice e peguei um trânsito horroroso, a cidade lotada e todos os percalços que podem nublar a nossa visão de um lugar… Mas eu nunca sou radical em relação a lugar nenhum – e, se dei uma segunda chance até a Las Vegas, como não fazer o mesmo um dia com St. Tropez? Depois de ler o seu post e ver as suas fotos, estou achando quase impossível não gostar… 😉

  6. Majô

    Emília, você pegou o filet mignon da cidade com essas ruelas medievais charmosas, casas cobertas de flores e cafés e restaurantes gostosos para sentar sem pressa. E, claro comendo-se muito bem.
    Como vocês eu também largaria os iates e o agito para curtir esse lado pra lá de charmoso dessa cidade lindinha 😉
    Não imaginava que fosse tão charmosa, achava que era mais agito.

  7. Ernesto

    Belos passeios nos locais charmosos da França… muito legal!

  8. Emília

    Carmen, com certeza um acerto. Eu aqui só mostrei um pouquinho da cidade, mas tem muito mais para conhecer: o Musée de L’Annonciade (http://www.saint-tropez.tv/html/annonciade.html), a citadela (http://www.saint-tropez-web-info.com/citadelle-saint-tropez.html)… Acabamos só no espírito de olhar e andar, nada muito pesado, olha a preguiça, hehe… 😉
    Debora, os cachorros estão sempre na minha mira, adoro… No próximo post também tem uma foooofa 😀
    Olha, Carla, eu também tenho os meus casos de antipatia à primeira vista: Bruxelas é a maior delas, tanto que eu prefiro nem falar que já visitei. Espero com certeza voltar e tirar a má impressão.
    Eu tenho certeza de que um dia tranqüilo e de sol em Saint Tropez vão fazer maravilhas pela sua impressão sobre a cidade. É muito charmosa e vale ficar um tempinho na região curtindo, já que as estradas estão sempre congestionadas (eu fui em setembro e olha que mesmo assim pegávamos trânsito!)
    Majô, eu acho que você iria curtir muito também, esse esquema light é tudo de bom 😉 Eu também me surpreendi com a cidade, achei que iria ser só badalação, mas tem de tudo e com muito bom gosto.
    Ernesto, está na hora de programar uma viagem para lá 😀

  9. Clarissa

    Oi, Emilia. Paisagens realmente incriveis. Nada de dieta em viagens! queria entrar em contato com você por email. Pra qual posso enviar? beijos

  10. Emília

    Oi, Clarissa!
    Realmente, nada de dieta em viagens…só na volta 🙄 😛 Ai, meus queijinhos…
    Meu e-mail é emilia ponto gf arroba terra ponto com ponto br

  11. Mari Campos

    Aff! Finalmente hoje arrumei um tempinho para escrever aqui – embora eu já esteja acompanhando os relatos de seu périplo há quase um mês, quando vc começou a postar sobre a viagem. Acompanhando e passando mal 😆 quando leio suas doces descrições acompanhadas de fotos tãaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaao incríveis de alguns dos cantinhos mais fabulosos do mundo!
    Emilia, vc e Marc fizeram mesmo uma viagem de sonho! Que dias lindos, perfeitos! E que cenários absolutamente românticos, idílicos, chiques, descolados. Eu AMO a França, AMO a Grécia e MORRO de vontade de conhecer a Turquia, que já está no mapa de 2009.
    Seus relatos estão me fazendo relembrar viagens adoráveis e sonhar, sonhar, sonhar com as próximas.
    Please, continue postando! :mrgreen:
    beijo enorme

  12. Eduardo Luz

    Emília, perfeitos os foto-posts. Narrativa tranquila e equilibrada, nos transporta pra dentro dos lugares. Mas, vamos a pergunta: o que é extamente uma torta tropezienne ? E parabéns pela escolha : também gosto muito de moules !

  13. Emília

    Mari, a mulher que literalmente sai pelo mundo! 😉
    Eu acho que esses lugares dos meus últimos posts são a tua cara…só para viver ‘a vida doce’ (suspiros)
    Vontade de voltar, Mari, tanta coisa por ver…eu fiquei muito satisfeita com o nosso roteiro, mas uma vez lá é que se dá conta de que as possibilidades são ainda maiores…Especialmente com relação à França, nós nos perdemos nos planos: a cada conversa uma região vira prioridade. Temos que ir para a Alsácia, mas e a Borgonha? E deixar a Provence de lado? E quando visitar melhor o sudoeste, uma região querida minha? E Paris, quando voltar para ficar mais tempo??? Gente, que desespero! 😆 Mas acho que a Alsácia ainda está de pé, num esquema meio ‘volta às origens’ (não minhas, claro, que essas estão lá num rincão do sul de Minas 😀 )
    Mas vou começar uma campanha: ‘A Mari tem que ir para a Turquia’ 😆 Mulher, fiquei apaixonada, tenho que dar um jeito de ficar um mês rodando por lá!
    Ih, Edu, ficou faltando a descrição, mas vamos lá: imagine um sonho, só que mais leve, com crème pâtissière dentro, servido geladinho. Uma bombinha calórica deliciosa 😀 Aqui neste link da Rotas e Destinos tem uma foto, dentro de uma reportagem bacana sobre Saint Tropez: http://www.rotas.xl.pt/0508/600.shtml
    E moules, junto com magret de pato, é o tipo de prato que, se tiver no menu, é certeza da minha escolha. Aliás, a última vez que comi por aqui foi no Astor e os bichinhos tinham um aroma maravilhoso…hmmm, me deu idéias :mrgreen: Acho que não vai impedir a dieta, não é calórico mesmo 🙄
    E você sabe que nunca tinha provado steak tartar? Dessa vez eu fui de carona e adorei! O que prova que algumas restrições alimentares são mesmo infundadas (desde que muito bem preparadas…)
    Um abraço!

  14. Carol Wieser | Travel Forever

    Que gracinha de lugar. Realmente encatadoras pracinhas… poderia ficar horas por lá só observando. Muito dez.
    😉

  15. Flavia Kaiser

    Emilia, que post delicioso! Que vontade de voltar a Saint-Tropez e comer no Club 55… 🙂

  16. hotelcaliforniablog

    Adorei sua descricao de Saint Tropez. Qdo fui pra la, dormi uma noite na cidade pra poder curtir melhor. Lembro super bem da marina com os donos dos iates se achando e de uma pracinha no meio da cidade, onde tomamos o cafe da manha. Me senti em cena de filme mesmo.

  17. Emília

    Carol, pensei que fosse só agito, mas a cidade também tem seu lado romântico para curtir a dois 😉
    Flavia, eu também viajei na tua viagem para a Côte D’Azur…Pampelonne é uma delícia, não é mesmo? Eu recomendo o Club 55 para a próxima vez, mas só não se esqueça da reserva 😀
    Oi, Maryanne!
    Acho que realmente tem que ficar mais tempo para aproveitar melhor a cidade, deve ser maravilhoso dormir ali e curtir a badalação à noite…Fora que a cena toda no Vieux Port pode ser considerada atração turística também 😆

  18. CarlaZ

    Emilia,
    amei tudo…quero is pra Côte d’Azur agora!!!
    Nossa deve ter sido uma delícia mesmo…eu gosto de badalação e também de ruelas…ai ai
    E esse restaurante na praia…parece ser incrível!!!
    Em cada post eu digo a mesma coisa…Emília você fez minha viagem de sonhos!!!
    Mas eu vou ter que fazer toda quebrada porque não conseguirei 35 dias de férias…mas assim como a Mari, a Turquia está nos planos de 2009.
    Beijos

  19. Emília

    Carla, quem sabe na próxima? Só é difícil escolher o que fazer no sul da França, já que as opções são absurdamente grandes…mas acho que em qualquer parte a diversão é garantida 😉
    Se você tem planos de visitar mais regiões da Turquia, aí talvez fique um pouco puxado, mas se você for só para Istambul, dá tranqüilo para fazer um belo roteiro pela Côte d’Azur antes…

Deixe uma resposta para Carmen Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *