França

Deixando Paris: Île de France

Com a chegada ao Charles de Gaulle, uma recepção como da última vez: com chuva e friozinho, mas com o super carinho do Jacques, que deixa tudo mais acolhedor. Só uma coisa seria diferente: nada de Paris, seguimos direto para o interior, mais especificamente La Fortelle, quase saindo da região de Île de France e entrando na Normandia.

La Fortelle é um vilarejo fofíssimo e minúsculo: em cerca de meia hora se dá a volta nele inteiro a pé, incluindo um tempo para apreciar a vista da cidade ao lado (como na foto acima), onde se concentra todo o comércio. É um lugar para viver a vida com calma, apreciando o campo: observando os pássaros, plantações e conversando com a gente do lugar, como a gentil madame agricultora da casa abaixo. Ela, me observando tirar fotos da vila, me convidou para conhecer a sua casa de fazenda do início do séc. XIX e me contar um pouco da sua história (além de trazer um escargot para a minha apreciação 😀 )

Além de ser fundamental para o descanso, tanto do jet-lag quanto das últimas semanas cheias de trabalho e preparação de viagem, La Fortelle é a casa de campo da Guilou e do Jacques, onde eles organizaram a festa em família. Cerca de 40 pessoas vindas de várias partes da França se reuniram no lindo jardim, onde se serviram de um buffet delicioso, cheio de saladas, pães, charcuterie e aqueles queijos maravilhosos que a gente só encontra por lá.

No dia em que partimos de La Fortelle para voltar a Paris, fizemos ainda algumas paradas pelas fofas cidadezinhas ao redor, como Ezy-sur-Eure e Anet, onde há um castelo renascentista…

(foto da direita: www.gardens-to-visit.com)
 
…e pela casa do Charles, que vive numa fazenda lindíssima dentro de uma vila fundada por templários, que também construíram esta igreja que fica dentro da propriedade deles.

Voltamos então para Paris, finalmente (Neuilly, na verdade). Mas na cidade tivemos um tempinho apenas para um passeio rápido pela Champs-Elysées, deserta no domingo, onde só demos uma olhada nas vitrines e compramos CDs. Seguem duas amostras simpáticas do que comprei por lá:
[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=X2BEhk1fqZo]
[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=1ZHWOrekXVE]
Foi triste não ficar nem um diazinho em Paris…ainda mais com convites de várias pessoas. De qualquer maneira, viajar é sempre uma escolha e dessa vez a decisão foi ficar no sul da França e ter mais tempo na Grécia. Espero poder voltar ainda muitas vezes para essa cidade que é preferidíssima (minha e de meio mundo 😉 )
De qualquer maneira ainda pude curtir um pouquinho Neuilly…

…e olhar de relance alguns pontos bacanas perto de casa antes de cair na estrada em direção ao sul 😀

18 Comments

  1. turomaquia

    OI, quem é a segunda cantora? adorei esta música!
    Beijos

  2. Patsy

    Eco-milia, apesar de o tempo estar nubladinho qdo chegaram, a temperatura parece agradável, foram em uma ótima epóca 😀

  3. Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

    Que lugar gostoso. Deve ter sido deliciosa experiência. Ah, escargots! Que delícia! Ainda mais à provençal…

  4. Ernesto

    Vamos aguardar os próximos passos! Bem vinda !

  5. Emília

    Oi, Turomaquia, o nome da cantora é Loane e o CD dele é muito fofo.
    Patsy, foi bom mesmo, mas esperávamos um pouco mais de calor. Mas sem problemas, o importante é não ter chuva, hehe 😉
    Arnaldo, na verdade ela me trouxe o escargot vivo! 😆 Seria delicioso preparado, mas muito simpático mesmo assim 😀
    Obrigada, Ernesto!

  6. Camila

    Ai, Emília… Que lua-de-mel maravilhosa… Ela mal começou e eu já estou encantada!
    Beijos!

  7. CarlaZ

    Também estou adorando!!! Quero ver mais!!!
    Beijos

  8. Emília

    Meninas, obrigada! Não fizemos muita coisa nestes três dias, mas aproveitamos a companhia das pessoas e isso é que conta, já que as vemos tão raramente…
    E continuamos 😉

  9. eduluz

    Emília, também raciocinei como o Arnaldo : fiquei imaginando como seria a preparação do escargot já que você escreveu que o tinha ‘apreciado’. Mania de ver comida em todas as coisas, rsrs
    E vamos acompanhar esta saga. Abs.

  10. Emília

    Eduardo, infelizmente não teve escargots, mas sim: rilletes, terrines, galantines, jambon inteiro, andouillette, foie gras, pâté en croute… Tudo muito leve :mrgreen: Champagne para acompanhar e para finalizar, queijos mil e uma patisserie maravilhosa.
    O que me sempre me surpreende é a qualidade das coisas mais banais na França e a facilidade de encontrar sempre coisas boas. Em qualquer cidadezinha do interior, você sempre vai encontrar pães impecáveis, doces finos (do tipo que só se encontra aqui no sex-shop ou tipo Douce France, Mara Mello), carnes fresquíssimas de coelho, pato…Até a comida pronta do Casino é ótima. É só perceber pelas conversas o quanto eles realmente dão de importância à comida. Eu sempre volto deslumbrada, com alguma comida na bagagem (dessa vez foi um queijo de ovelha basco, o Etorkí, maravilhoso) e mais gordinha também, hehe…

  11. Majô

    Emília, essas micro cidades são fofíssimas, é para parar e ver a vida passar mesmo com qualidade de vida !
    E como se come bem nelas, como você diz, sejam pães ou doces tudo com o melhor preparo, inigualável. O melhor mil folhas que já comi foi numa lojinha de uma senhora numa cidadezinha de passagem indo para o Vale do Loire, inesquecível.
    E os queijos lá não têm comparação com os que se come aqui.
    Beijos,

  12. Gi

    Otimo BLOG!!!!
    Parabens….
    Adorei as imagens….
    Abraços…
    Gi, Roma

  13. Carmen

    Emília, um post para abrir o apetite. Um lugar muito lindo.
    La Fortelle: levo em conta!
    Um beijo

  14. Emília

    Majô, a região é super bonita mesmo…e é tão interior que nem parece que você está a uma horinha de Paris.
    E nem me fale em mil folhas! Já fiquei salivando por aqui 😆 Me lembro quando fui em 99, acabei parando numa cidadezinha minúscula no Vale do Loire, com um castelo horripilante. Não tinha nada aberto para fazer um almoço tardio, só um boteco, daqueles com senhores fumando, lendo jornal e jogando na loteca. Pois é, pedi um simples sanduiche de queijo para não ter erro…e não teve mesmo: a baguete era maravilhosa, crocante e dourada e o recheio era muito camembert, delicioso. E o cuscus marroquino que comemos descendo dessa vez para o sul, num desses restaurantes básicos de beira de estrada? Delicioso!
    Nossa, preciso parar de falar em comida…ainda faltam muitos quilinhos dessa viagem para perder 🙄 😆
    Gi, obrigada pela visita! Dei uma passada no seu blog e é muito bacana…vou ler com mais calma e indicar para o meu irmão e minha cunhada, que são simplesmente apaixonados pela Itália…Um abraço! 😀
    Carmen, que boa surpresa! Pois é…o post não era originalmente sobre comida, mas acho que o escargot começou tudo, hehe…
    E eu não tenho mesmo vocação para Brincando de Chef, Da Cachaça para Vinho ou Destemperados, porque quando eu me lembrava de fotografar os pratos eles já estavam pela metade ou terminados 😳
    Um ótimo final de semana para todos!

  15. Carol Wieser | Travel Forever

    Que lugar gracioso. Parece cenário de filme antigo. É bom descansar em lugares pacatos. Mas pelo visto a festa foi deliciosa e agitada!
    Beijos

  16. Emília

    O vilarejo é uma belezinha, Carol, parecia que estava numa cidade cenográfica. Este é um dos prazeres de se andar de carro pelo interior da França: cada pequena vila ou cidade tem o seu charme, casas antigas, uma bela igreja, uma pracinha…e não é exclusividade de uma região ou outra. Ai, ai… (suspiros)

  17. Patricia - Turomaquia

    Obrigada pelo nome da cantora!!!!
    Beijos

  18. Emília

    Patricia, a outra cantora também é bem bacana, ela se chama Emily Loizeau e tem um estilo um pouco mais diferentão, mas vale a pena dar uma olhada.
    Aliás…estou adorando os teus posts de Creta! E os de Keramikos também, já que não deu tempo para ir até lá, foi uma das coisas que ficaram para uma próxima vez em Atenas. Pelo menos conheci por tuas fotos 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *