Serra da Mantiqueira

Dolce far niente em SFX


Depois de Passa Quatro, escolhemos sanar uma lacuna nossa em relação às cidadezinhas de serra em São Paulo: São Francisco Xavier, a mais próxima delas da capital. Estávamos precisando urgentemente de descanso, depois de um período insano de trabalho que não dava sinais de melhoria no ritmo.
A escolha recaiu sobre a pousada A Rosa e o Rei, na estrada de terra que liga São Francisco Xavier a Joanópolis e Monte Verde, distante cerca de 11km do centro da vila, que na verdade é um distrito de São José dos Campos. A maior parte do distrito é legalmente reconhecido pelo Estado como APA (Área de Proteção Ambiental), por ainda manter um trecho original de Mata Atlântica na Mantiqueira.

Para chegar até lá é necessário passar por dentro de São José, num caminho um pouco confuso. A partir dali é uma estradinha bonita que segue até Monteiro Lobato e depois até o centrinho de SFX. A estrada é estreita e de mão-dupla, mas não é perigosa: tem poucas curvas e não há uma subida de serra forte, já que a vila não está numa posição muito alta, são os arredores que tem altitudes mais compatíveis com a serra.

(mapa de www.saofranciscoxavier.org.br)
São Francisco Xavier é uma vilinha simpática, com o tradicional centrinho com a matriz, coreto, alguns restaurantes e lojas. Nós não chegamos a experimentar a gastronomia local porque a nossa pousada oferecia pensão completa, mas algumas boas opções podem ser o Yoshi, de comida asiática, e o café Photozofia, que tem espaço para exposições e música ao vivo.
A cidade tem várias cachoeiras, pontos para salto de asa-delta, o Pico do Selado, muito procurado para escalada (já na divisa com Monte Verde, em MG) e várias trilhas, das quais a mais famosa é a travessia São Francisco Xavier – Monte Verde: 12 quilômetros que podem ser feitos em até 6h, em média. Já queria fazer essa trilha há um tempo, lindas vistas, mas não foi dessa vez: a preguiça falou mais alto e acabamos não saindo do hotel 😳
Mas a pousada tem suas atrações próprias, entre elas duas cachoeiras, a Rosa…

…e o Rei…

…que podem ser ouvidas mais fortemente por quem fica nos chalés de baixo, no meio da mata que circunda o rio, mas um som mais suave pode também ser ouvido dos chalés de cima, que têm vista. Nós ficamos uma noite em um dos primeiros e o as outras duas nos de cima: estes tinham uma obra próxima, neste dia, e acharam que talvez o barulho pudesse ser ouvido e sugeriram a divisão da estada, o que aceitamos.

Todos são confortáveis, mas os de cima são mais espaçosos, alem de ter o ofurô dentro do quarto: nos chalés da mata o ôfuro fica em um terraço, ao ar livre. E um ponto crucial (para mim, pelo menos): essa bela vista 😉

Em caso de querer não sair do chalé, você pode escolher DVDs, CDs e livros do catálogo que eles deixam à disposição na recepção e, para curtir o friozinho da serra, nada melhor que uma lareira. O fogo também é personagem principal quando todos se reúnem no jardim para apreciar uma bela fogueira construída para aquecer e deixar a noite ainda mais bonita…

De manhã, a pedida é participar das aulas de tai chi chuan dadas pelo Fred, o dono da pousada, numa bela sala com vista para o vale e com o som das cachoeiras ao fundo. Na verdade a idéia inicial dele era montar um centro de treinamento de tai chi no local, mas impedimentos quanto às construções devido à propriedade estar dentro da APA o fizeram desistir do projeto. Tempos depois o projeto da pousada surgiu e foi aprovado.
Outra boa sugestão é fazer a trilha dentro da pousada, que começa pela parte alta do terreno e segue a beira do rio, passando pelas duas cachoeiras. Em todo o percurso existem pontos para descanso e contemplação. Esse ponto virou um favorito para leitura…
 
Deve ser fabuloso ter um curso d’água como este dentro de uma propriedade, que privilégio! Dá até vontade de entrar, mas não estava exatamente quente e, segundo o pessoal da pousada, mesmo no verão é preciso ter coragem…Mas só a paisagem ao descer pela beira do rio já compensa 😀


Outro ponto que virou um preferido meu foi esse deck, num ponto isolado. Perto dele ficava um caminho d’água para massagear os pés e banquinhos para descanso…


Mas esse não é um lugar para carnívoros: todas as três refeições são ovolactovegetarianas. A comida é muito saborosa e gostamos especialmente dos jantares: sempre sopas creme, tortas ou risotos. Não sentimos falta da carne, realmente.
O tai chi chuan, a comida, a água correndo…a idéia é criar um ambiente de relaxamento e era disso mesmo que estávamos precisando: silêncio, beleza e privacidade. Quem sabe alguma trilha mais pesada da próxima vez? 😉

19 Comments

  1. eduluz

    Já tentei ir várias vezes em São Francisco mas na última hora, desisti. Pelo visto, deveria ter ido.
    Aquele banquinho em frente a cachoeira é um convite. A Dé iria adorar a alimentação e o tai chi !

  2. Mô Gribel

    Emília, eu ficaria dias ali no banquinho lendo….
    Muito bacana o lugar!

  3. Majô

    Que lugar tão lindo tão perto de São Paulo, grande dica 😆

  4. Emília

    Eduardo, o bacana de lá é que, se você quiser, só relaxa e fica no conforto. Mas se quiser atividade, tem várias opções também, especialmente de trilhas. E se a Débora gosta do esquema tai chi / alimentação vegetariana, outra sugestão é o Hotel Ponto de Luz, em Joanópolis (www.hotelpontodeluz.com.br). As acomodações são um pouco mais simples do que nesse, mas eles têm uma proposta super bacana: alimentação vegetariana, caminhada de manhã, meditação às 18h e vários tratamentos e massagens entre tudo isso.
    Mô, acho que o Endurance seria um complemento perfeito para esse banquinho 😆 De manhã, especialmente, a luz do sol batia bem ali e afastava um pouco o frio…fora o astral da cachoeira ao lado, delícia 😀
    Lindo demais, Majô! Nós temos sorte de ter uma região tão como essa tão perto de nós de Sampa, Rio e BH. Eu adoro esse climinha de montanha. Aliás, um lugar que preciso voltar é Mauá, já faz um tempão…o único problema de lá é trazer uns quilinhos a mais: Gosto com Gosto, Rosmarinus, Le Petit, Verde que te quero ver-te… :mrgreen:

  5. Marcio

    Bela dica, pertinho de SP.
    Dá para curtir o visual!!! e descansar bastante!
    Bjo!

  6. Arthur

    Belo lugar para passar a dois! Pena que agora estou “solteiro no Rio de Janeiro”… 🙁

  7. Ernesto

    Emilia, lindas as fotos, e mais uma região linda que voce traz para todos!
    A Cidade é bem simpatica. Tambem recomendo a pousada Riacho Doce. Vários grupos fazem camihadas,e um passeio muito bonito e ir até Joanópolis e Monte Verde pela estrada de terra, o que em epoca de seca dá para ser feito com qualquer carro.
    Leitoras solteiras… aproveitem o Arthur….

  8. Emília

    Marcio, o caminho é cheio de quebradinhas, mas é bem fácil…Dá tranqüilo para passar um final de semana relax e tirar umas fotinhos 😀
    Só uma dúvida: você está no Brasil agora?
    Arthur, não acredito que vá ficar por muito tempo, não… Homem bacana e que gosta de viajar a mulherada não deixa muito tempo dando sopa no mercado 😆 Fora que você tem os dotes alcoviteiros (no bom sentido!) do Dr. Ernesto à disposição 😉
    Nós queríamos voltar por Monte Verde, Ernesto, era só continuar reto pela estrada da pousada, mas o pessoal nos desencorajou…parece que a partir daquele ponto a estrada estava um pouco deteriorada, pena. Numa época sem chuvas deve ser uma bela continuação de viagem.
    Um abraço para todos!

  9. Ernesto

    Emilia
    Eu fiz a estrada para Monte Verde com a Parati,foi tranquilo, é so ir devagar. Mas, a estrada deve ficar bem embarrada na época das chivas.
    Alcotoveiro, eu??? No máximo um Pato Corações…
    Ps… quando voltar de viagem escreva!

  10. Arthur

    Emília, valeu! Ernesto, e já que a maior parte de leitores de blog é de mulheres (incluindo o meu) acho que vou criar no meu blog um post chamado “Par Imperfeito” (mandem fotos, por favor) 😀

  11. Emília

    Pato Corações 😆 Adorei!
    E pode deixar que vamos marcar umas comidinhas e bebidinhas na volta…seria legal encontrar o pessoal antes, mas eu não consegui nem pensar na minha mala problemática ainda 🙄 Pode deixar!
    Par Imperfeito: mais 😆 E ainda com bom humor, hehe…
    Você acha que dá mais mulheres nos blogs de viagem ou em geral?

  12. Ernesto

    Emilia : acho que as mmulheres tem mais receio de viajar sozinhas, apenas… Mas se o Artur fizer o par imperfeito, eu faço uma notinha no Riq….Artur, me avise ernestoadvogado amagica yahoo p com p br

  13. Emília

    Pode ser, Ernesto…Gostamos de nos preparar mais, talvez? Acho que os homens são mais impulsivos e vão na aventura mesmo :mrgreen: Sem generalizações, claro!

  14. Mari Campos

    Ecomília, vc só mata a gente de inveja (booooa, é claro!) com essas fotos incríveis de destinos aqui tão pertinho!
    Agora o Ernesto e sua Pato Corações e Arthur e seu Par Imperfeito estão arrasando também, não??? 😆

  15. Emília

    Mari, é uma sorte termos tantos lugares lindos ao redor de nossas cidades! Podemos curtir o melhor do que elas podem oferecer e ainda andar 2 horinhas e achar coisas como essa cidadezinhas de serra, praias desertas. Temos que aproveitar 😉
    Agora…os meninos levam jeito de montar um negócio online de sucesso :mrgreen:

  16. Arthur

    É, negócios são negócios, acho que vamos enveredar pelo ramo do cupido on-line…rsss
    Emília, acho que dá mais mulheres nos blogs em geral, com um ligeiro equilíbrio nos de política, onde o pau come (tipo Pedro Doria).

  17. Emília

    Arthur, é que a gente adora dar pitacos (em tudo!) :mrgreen:

  18. Ricardo

    Belas dicas! A sensação que tive enquanto estava lendo seus comentários, é de que já estava na pousada curtindo o sossego.
    Bjs

  19. Emília

    Ri, sei que você e a Joana vão adorar! Depois me contem…
    Um beijo e boa viagem!

Deixe uma resposta para Ricardo Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *