Serra da Canastra

Um dia no parque

No nosso primeiro dia na Serra da Canastra não queríamos fazer muita coisa – tínhamos chegado no meio da tarde e só o que fizemos foi almoçar (muito bem) e fazer uma caminhada ao redor da pousada para ver o São Francisco e nadar um pouco. Um ponto ótimo de entrada no rio, junto a uma ponte pênsil, está a apenas 500 metros da pousada.

Mas o dia seguinte seria dedicado, entre outras coisas, a conhecer a nascente do chamado ‘Velho Chico’. Para isso, seguimos cedo para uma das portarias do parque, próxima a São Roque de Minas, a mais utilizada e que conta com um centro de visitantes.
O Parque Nacional da Serra da Canastra é composto oficialmente pela área vista no mapa do post anterior. Mas somente o maciço norte é totalmente desapropriado, contando com vigilância do Ibama e estrutura para visitação, sendo esta a área que visitamos neste dia.
O dia amanheceu nublado, friozinho e nos desanimamos um pouco em colocar roupas de banho. Mas foi só entrar no parque e rodar pelo topo da serra que a minha opinião mudou: a névoa dava um ar misterioso e belo ao lugar, dando a impressão que estávamos nas ‘highlands’ escocesas. (Ok, ok, eu nunca estive na Escócia…mas um pouquinho de imaginação não ofende :mrgreen: )

Em um certo momento sabemos que estamos próximos da nascente por estes pequenos tufos pretos vistos ao longe, vegetação que demarca os inúmeros olhos d’água que se unem para formar um dos rios mais famosos do país.

Outro sinal que mostra de longe o nascimento do rio é a mudança de paisagem, com uma vegetação muito mais viçosa e adequada à proteção do curso d’água.

E olha o São Francisco aí, bem pequenininho…

Antigamente era possível chegar até os olhos d’água e ver as ressurgências, mas os abusos fizeram o Ibama permitir o acesso somente ao ponto onde o riacho já está formado 🙁
Foi muito bacana ter uma outra visão daquela que eu já tinha visto do rio: justamente a sua foz, em Alagoas. Difícil acreditar que são o mesmo, tendo visto duas paisagens totalmente diferentes entre si…e imaginando ainda quantas outras o São Francisco corta no seu curso.
Continuamos por mais um trecho da estrada de terra que corta o parque de leste a oeste por mais de 80km…
 
…passando pelo curral de pedras, uma construção antiga usada pelos fazendeiros, e seguindo em direção à cachoeira Rolinhos, no face norte da serra.
 

Ela é formada por várias quedas em degrau, tendo uma piscina na parte superior…
 
…e outra na parte inferior, descendo um pouco o rio.

Mesmo sem tanto calor e com o tempo nublado, não deu para resistir a um mergulhinho…
Saindo da Rolinhos, mais um bom tanto de sacolejo no jipe e atravessamos a serra no sentido norte-sul, chegando bem ao ponto onde o São Francisco finalmente deixa a parte alta do parque (como você vê pelo pequeno vale na foto à esquerda) e desce os paredões imponentes, seguindo rumo Brasil adentro (foto da direita). 

Esta é a primeira da seqüência de quedas da cachoeira Casca D’anta, a mais famosa e um dos símbolos do parque. Ela forma uma piscina e segue por um cânion antes da queda principal.

Os campos no parque estão floridos de diversas cores, mas ao redor desta cachoeira chega a ser um exagero…

Ao invés de seguirmos para a parte baixa com o jipe, preferimos descer o paredão pela trilha, para poder curtir a vista incrível que se tem o tempo inteiro.

É uma trilha rápida e fácil, apesar da descida íngreme. A recompensa pelo esforço é essa belezinha:
 
É a parte final da primeira queda do São Francisco, uma paisagem inesquecível, que, para sorte dos habitantes e turistas, pode ser vista de vários pontos da estrada no vale.
E que tal esta visão?
 
A cachoeira tem cerca de 180 metros e o desnível total em relação à parte mais alta é de 300 metros. A força da água na Casca D’Anta é tanta que você nem precisa se aproximar muito da queda…o vento é forte e espalha as gotas de água, formando uma chuvinha constante que deixa difícil o trabalho de fotografar.

Um dia intenso…o nosso relógio apontava quase 19 horas, mas ainda dava tempo para um último mergulho antes de fecharmos as porteiras do parque 😀

15 Comments

  1. Camila

    Emília, aproveitando que suas informações são fresquinhas, queria umas dicas sobre hospedagem. Você ficou em São Roque? Estou pensando em passar o Carnaval lá e já estou olhando pousadas…

  2. Elisa

    Quanta modéstia a sua, hein?! Dona Emília! Eu li seu cometário lá no blog do Arnaldo, onde vc denomina seu Super-blog de “bloguinho”. Não pode ser…
    Talvez vc tenha colocado como uma maneira carinhosa de chamar seu lindo espaço, mas eu não concordo em denominá-lo assim porque vc tem um blog muito bacana e que muitas pessoas, como eu, apreciam demais. Bjs

  3. Patsy

    Eco-Milia, demais… adorei! Que passeio gostoso esse! :mrgreen:

  4. Débora

    Emília, muito legal esse post! E por falar em legal, ontem foi show! A turma foi muito receptiva, amamos! Com certeza podemos marcar mais saídas, com ou sem o pessoal. Foi muito divertido.
    Depois me manda teu e-mail pra eu te enviar a pousada que achei lá BsAs.
    Beijão

  5. Emília

    Camila, nós não ficamos em São Roque, apesar de lá ser o principal ponto de hospedagem. Ficamos perto de Vargem Bonita, uma cidadezinha mais próxima da parte baixa do parque, na Fazendinha da Canastra: http://www.fazendinhadacanastra.com.br/
    Se quiser ficar em São Roque, que é mais próxima da parte alta do parque, a única referência minha é a Pousada Barcelos, onde o Marc ficou há alguns anos atrás e achou ok: http://www.serradacanastra.tur.br/pousadabarcelos.html
    Com certeza vai ser um Carnaval zen…é isso mesmo o que está procurando? 😀
    Elisa, brigadinha 😳
    Ele ainda tem que tomar muito fermento, mas o apelido é carinhoso, sim. É uma ferramenta muito bacana para guardar lembranças de viagem. Tenho percebido que às vezes esqueço o que fiz em determinado lugar, onde comi…a memória não está muito boa e com o blog muita coisa não vai se perder.
    Está ótima nas fotos lá no Filigrana! 😀
    Patsy, delícia de passeio, o dia passou muito rápido. Quase nem nos demos conta que já tinha chegado a hora do parque fechar, só de bobeira no rio… :mrgreen:
    Débora, finalmente nos conhecemos, hein? Adorei ter conhecido o casal ‘Brincando de chef’, com certeza vamos nos encontrar mais vezes!
    O meu e-mail é emilia ponto gf arroba terra ponto com ponto br. Um abraço!

  6. Camila

    Emília, estou procurando um Carnaval tranquilo mesmo. Vamos só meu namorado e eu e na verdade o que estamos realmente querendo é um lugar aqui por perto para irmos de carro. Entrei no site da pousada e adorei o estilo rústico!!! Já mandei um email para eles e já tinha entrado em contato com a Pousada Barcelos também. Agora é só decidir! 😀

  7. Mari Campos

    Ecomília, adorei!!! E o nosso chazinho ou cafe em BsAs? Vamos agendar???Já que eu sempre perco as conVnVenções…

  8. Patsy

    Vai rolar conVnVenção em BUE e eu chegarei duas semanas atrasadas? ahhhhhh 🙁
    Mari, tem que vir para SP um dia para nos encontrarmos heim!! Pará com conVnVenção internacional, sua chique!

  9. Emília

    Camila, tenho que avisar que é bem rústica e simples mesmo, a proposta deles é fazer você se sentir ‘na roça’, com direito a vaquinhas no curral e fogão a lenha, quartos espartanos. Se você gosta da idéia, então tudo bem. O pessoal lá é bacana e super hospitaleiro. Se você não tem um 4×4, o Vicente, que é o dono, propõe passeios na Toyota dele, foi o que fizemos. Depois eu vou colocar um post melhor com esses detalhes.
    Mari, qualquer dia entre 27 e 1º está ótimo para mim (26 não conta que eu vou estar em clima de chegada… 😀 ). Veja a tua agenda e pode marcar que estarei lá no Alvear! Patsy, eu achei que você ia para o final de ano! Mas não fica tristinha, não… (aliás, por que mesmo ficar triste em Bs.As.? 😛 )

  10. Majô

    Emília, bonito e interessante este post onde conhecemos a nascente do velho Chico. Aliás,voando para Alagoas, a visão que se tem do rio é impressionante como é grandioso.
    Que vistas lindas destas fotos, cada uma mais bonita que a outra. 😉

  11. Mari Campos

    Patsy, preciso mesmo ir pra Sampa!!! Falei pra Majo que não acredito ter perdido mais uma conVnVenção… 🙁
    Emília, dia 26 pra mim também não rola e dia 1o. pra mim já será tarde… hehehe… Dia 29 me parece bom, o que vc acha? Vou ver se o Rodrigo Purisch também topa, tá? bjs!

  12. Emília

    Majô, você, das Alagoas sabe tudo! 😆
    Eu tive um momento ‘êxtase místico’ na foz do São Francisco, achei tudo aquilo de uma beleza meio ‘Tieta’ que eu não tinha visto ainda ‘ao vivo’.
    Mari, dia 29 para mim está belezinha…se o Rodrigo puder, está marcado! Alvear às 17h?

  13. Carmen

    Emília,
    Su dica é muito interesante. É um lugar sorprendente, donde se aprecia una natureza muito pura. Poesia plena de verdes. Em as suas fotos se mostra um paisagem e uma atmosfera que exala paz. Me gosta muito o lugar.
    Eu, sim, he estado en Escocia, mais este paisagem é más parecido a Irlanda. Um espaço verde, sossegado e bucólico. Escocia é más agreste, muito bonita, mais nâo tan poética. Escocia é como um drama, intenso.
    Irlanda e de Escocia están muito longe de Brasil, mais este paisagem parece irmaô deles.

  14. Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

    Passei aqui para ler mais esta deliciosa e completa matéria de um ex montanhista escalador apaixonado pelo verde. Tá muito bacana!
    Aproveito para convidar você a dar uma passadinha no Havaí. Já está no ar o primeiro capítulo do FATOS & FOTOS de Viagens no HAVAÍ. Te espero lá!

  15. Emília

    É Carmen, errei por pouco a geografia :mrgreen:
    Nesse dia o céu estava cinzento e com nuvens baixas e aqueles campos amplos e vazios, cheios de pedra, me lembraram algumas fotos que já tinha visto da região. Sou louca para ir à Irlanda…acho que aqueles campos verdes tem tudo a ver com o meu gosto por paisagens. É mais uma viagem que está na minha listinha 😀 Beijos!
    Arnaldo, eu a-do-ro essas paisagens grandiosas, mas nunca poderia ser montanhista, como você. Só de subir o Pico das Agulhas Negras eu já fiquei com medo (a chuva não ajudou muito), imagino então escalar de verdade…mas sei que é totalmente viciante, pelo que falam!
    Pode deixar que vou dar um pulinho lá no Fatos & Fotos! Aproveite 😀

Deixe uma resposta para Majô Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *