Eu não teria conhecido essa maravilha que é Boipeba se não fosse o Ricardo Freire.
Como o Ricardo vem inspirando e orientando muitas viagens por aí (é só passar um dia acompanhando o Viaje na Viagem para comprovar), decidi perguntar a ele qual era a melhor maneira para chegar até Barra Grande / Maraú, lugar que já estava há algum tempo na minha listinha.

E ele me respondeu: ‘Você já foi a Boipeba? É muito mais bacana e bem mais fácil de chegar.’ Eu pesquisei um pouco, no Freire’s e em outros sites (como este com fotos lindas, do fotógrafo Alex Uchôa). Gostei muito do que li (e vi) e perguntei ao Ricardo qual era atualmente a melhor maneira de chegar na ilha.
Aí ele escreveu este post.
Esse super guia foi a base da minha passagem pela ilha e não só pode como deve ser usado por qualquer um que queira aproveitar bem Boipeba. Aqui no blog eu vou relatar um pouco da minha experiência por lá.

Boipeba é uma das três maiores ilhas do arquipélago que forma o município do Cairu, ao sul de Salvador. As outras duas ilhas são Cairu, onde fica a sede do município, e Tinharé, onde fica Morro de São Paulo, vizinha mais famosa e lotada.
Ao contrário de Morro, Boipeba conseguiu manter a tranqüilidade e o dia-a-dia da vila de pescadores que é. Existe uma movimentação turística, especialmente na alta temporada, mas nada que atrapalhe o sossego de quem quer se desconectar. Além disso, a ilha faz parte da APA Tinharé-Boipeba e os habitantes têm a preocupação de evitar a exploração excessiva deste cantinho fabuloso.

Eu estava precisando de um lugar de paz e beleza e também de passar um tempinho comigo mesma. Boipeba foi a escolha perfeita.
Obrigada, Riq! 😀