Buenos Aires

…a gente quer comida, diversão e arte

Na sexta-feira (28), acordamos tarde, tomamos o nosso tradicional café da manhã no Del Pilar e tomamos o rumo da Avenida Figueiroa Alcorta. É um caminho arborizado, cheio de prédios bonitos das embaixadas e pracinhas.

O nosso objetivo era chegar ao Malba, que eu não tinha tido tempo de visitar da outra vez. O museu é muito famoso pela incrível coleção de obras de arte latino-americanas dos séculos XX e XXI, reunidas pelo colecionador Eduardo Constantini.

Para começar, o próprio prédio do museu é uma atração: as paredes de vidro e as clarabóias permitem à área central, de pé-direito altíssimo, receber luz e iluminar algumas das obras mais visíveis. Existe ainda um terraço com esculturas, emoldurado pelas árvores do entorno. Uma bela construção.
Mas a coleção permanente é a maior atração, tendo obras de Diego Rivera e Frida Kahlo, Xul Solar, Fernando Botero (com El Viudo, obra fantástica) e brasileiros como Hélio Oiticica, Lygia Clark e, claro, Tarsila do Amaral e seu clássico Abaporú (que, aliás, está de volta ao Brasil temporariamente para a exposição ‘Tarsila Viajante’, que fica na Pinacoteca do Estado, em São Paulo, até 16/03/08.)

Abaporú (E), Autorretrato com chango y loro, Frida Kahlo (D) (divulgação do Malba)
A coleção ocupa o primeiro andar, o térreo tem os serviços e lojinha, o subsolo e o segundo andar hospedam as exposições temporárias. Quando estivemos lá, estava em cartaz uma retrospectiva de Oscar Bony, artista plástico argentino dono de uma obra curiosíssima e polêmica.
Saímos felizes e…com fome. Táxi! Palermo, por favor 😀
Tínhamos reservado uma das muitas boas dicas dos Destemperados, o Social Paraíso, e estávamos ansiosos para experimentá-lo.

Conseguimos uma mesa junto à janela que dá para o singelo pátio interno…que ambiente simples e tão agradável. A carta é curta, mas apetitosa por inteiro e meu prato estava impecável. Fiquei até triste quando acabou o meu peixinho, um dos melhores que comi ultimamente.
Ai, que pausa boa para relaxar as pernocas entre caminhadas…Saímos em reconhecimento ao badalado Palermo Viejo para meditar sobre o belo almoço que tínhamos acabado de devorar e sentir a vibração do bairro, com suas lojas charmosas e o seu forte, na minha opinião: a área gastronômica.
Descemos em direção aos parques e aproveitamos o sol mais fraco de final de tarde para…ir ao zoológico, claro.
 
Essa criança aqui tinha que ver as tartarugas…

…e os hipopótamos :mrgreen:

Alguns recintos são pequenos (talvez os conceitos de zoológico e tratamento de animais fossem diferentes na época de construção do zôo, no final do século XIX 🙁 ) e as estruturas precisam de reparos, mas ainda assim é um bom passeio.

Há uma boa variedade de animais e eles ficam bem próximos dos visitantes…alguns até demais (como esses ratões e as lebres)  😀
 
Depois de tanto andar, hora de voltar para casa e relaxar porque a noite de sexta-feira seria longa…começamos conferindo outra excelente dicas dos meninos Destemperados, o Bar Uriarte. Um lindo lugar, muito badalado, boa comida…poderíamos ter ficado ainda muito mais tempo se não tivéssemos reservas para o Bar Sur.

Sabíamos que o show ia até às 2 da manhã e acabamos chegando um pouco antes da meia-noite. O lugar me cativou desde o começo: minúsculo, o ambiente original bem preservado, a luz amarela lá fora iluminando os prédios antigos de San Telmo (prato cheio para uma saudosista como eu, que logo se transportou para as décadas de 20 e 30)…sem comentar as excelentes apresentações que se revezavam: cantoras, dançarinos e pequenas orquestras.
O show no Bar Sur é ininterrupto, ou seja, não há um horário específico de início, você escolhe a hora em que quer chegar. O clima não poderia ser mais intimista, os dançarinos estão a poucos centímetros. É um programa turístico? Sim, com certeza, mas emocionante. Se puder ir mais tarde como nós, pode ter um show quase particular (só vai sentir uma certa ansiedade dos funcionários quando o relógio bater 1 e meia da manhã :mrgreen: ). E ainda ter uma aula particular de tango!  O dançarino me convidou e eu aceitei, claro. Duas vezes 😛 O moço era tão bom que conseguiu me conduzir e me dar a ilusão de que eu realmente sabia dançar tango 🙄
Enfim, diversão e arte de primeira. Recomendamos muito para quem quer sentir um clima de tango diferente das grandes casas. Mas a única recomendação para nós, naquela hora, pisando nos paralelepípedos da Balcarce, era voltar para casa e dormir, que no dia seguinte ainda teríamos muito mais…

24 Comments

  1. Mô Gribel

    Oh mô deuso du céu! rs
    Que hipopótamo mais lindo! rs

  2. Majô

    Emília, delicioso dia do princípio ao fim, muito bem aproveitado, terminando com uma aula de tango 😉
    Também achei o hipopótamo um fofo !!

  3. Emília

    Mô, eu tinha certeza de que você iria gostar dessa foto, hehe…e a inspiração para visitar o zôo foi aquele post seu quando você ainda estava na Caverna, lembra? Esse aí é o filho/filha do casal que você visitou. Um jovenzinho 😀
    Majô, quando a gente se diverte nem se dá conta, só vê quando está cansado no final do dia e as pernas latejam 😉 Nós demos sorte…o dia estava muito quente e os hippos não queriam sair da água. No final do passeio voltamos lá e ele resolveu sair e dar um show, parecia que estava desfilando, uma fofura…

  4. Eduardo Luz

    Bela foto a do hipopótamo! Deste post eu não conhecia nada!
    E a “reportagem especial” do Brincando de Chef também está muito boa !

  5. Diogo

    Opa, maravilha que o Social Paraíso foi aprovadíssimo. Mó astral né? Adoro lá, super arejado e o atendimento e comida tbm são divinos 🙂
    Adorei saber disso 😎
    Bjos

  6. Rodrigo Cunha

    Olá!. Gostei bastante do seu blog.
    Como faço para entrar em contato com você? Tenho algumas considerações e sugestões.
    Meu e-mail é: rodrigo@riot.com.br
    Fico no aguardo de um contato.
    Grande Abraço!

  7. Carla Castro

    Emília, que momento lindo em que você capturou o hipopótamo!!! Também adoro visitar zoos, mesmo sempre ficando penalizada com os pequenos espaços…
    Agora, depois de um ótimo post como esse, só faltou uma fotinho sua arrasando no tango!!! :mrgreen:

  8. Mô Gribel

    Ahhhhh jura que é filhote deles? rs
    Eu adooooooooooooooooro hipopótamos, vc sabe!
    Emília, acho seus posts explicativos o máximo! Quando eu crescer quero aprender a escrever assim. Eu sou mega preguiçosa… :mrgreen:

  9. Emília

    Eduardo, obrigada! Depois eu vou dar o link do post do Brincando de Chef aqui quando eu fizer o post só de restaurantes.
    Diogo, sabe aquele almoço feliz, tudo gostoso, tudo agradável? Pois é, a vontade era de comer ali todo dia 😀 Eu acabei copiando totalmente vocês: peixe com legumes confitados e vinagrete de mexilhão e os helados entre maçãs (o que era aquele de pimenta???). A carne do Marc estava ótima, com batata assada com sour cream e morcilla e também legumes. Obrigadíssima pela dica!
    Rodrigo, seja bem vindo, que bom que gostou do blog.
    Carla, infelizmente (ou felizmente??) nós nos esquecemos da máquina à noite, então não temos fotos dos restaurantes ou do tango. Mas que foi divertido, foi 😉
    Mô, o pequeno hippo está fazendo sucesso, mas justo: que ele é uma belezinha, ah, ele é… (você sabe que eu também sou fã deles :mrgreen: ) Já sobre os textos…é engraçado. Quando a gente passa um certo tempo só escrevendo material técnico, é difícil voltar a escrever prosa. A gente acaba descobrindo cada vício de escrita…mas é divertido 😀

  10. Guta C.

    Oi Emília!
    Mto bom o post!
    Emília, posso colocar o seu blog no Blogroll do Vambora?
    Se colocaria ele tb no seu Blogroll?
    Bjus!

  11. Emília

    Oi, Guta! Pode colocar sim, sem problemas. Eu preciso também atualizar o meu blogroll, vou fazer uma revisão e incluir o Vambora também.

  12. Guta C.

    Oi Emília! Adicionada!
    Coloca o Vambora tb!
    Obrigada!
    bjus

  13. Carla

    Emília, o hipopótamo roubou a cena… 😀 A foto ficou demais! Na próxima vez em B.Aires vou fazer como vocês – me mandar pra Palermo na hora das refeições, pelo menos um dia ou outro, pra experimentar as dicas dos meninos!

  14. Emília

    Dá vontade de apertar o bochecha, não dá? Bem, eu sou suspeita 😀 Essa história de ir para Palermo não é prática, mas vale a pena pois os restaurantes são todos excelentes, fora que o táxi até lá do apezinho na Recoleta ficava em torno de 15 pesos, nenhum absurdo.

  15. Carla

    Acho que vou procurar concentrar as atividades nas imediações da Recoleta e dos Parques de Palermo nos dias em que tiver reserva para os restaurantes – assim não dá preguiça de cruzar a cidade! 😉

  16. Emília

    Concordo plenamente…os únicos dias em que almoçamos por lá foram aqueles em que estávamos relativamente perto, a uns 12 pesos de táxi, no máximo 🙂

  17. Carmen

    Emília, a gente quer comida, diversã e arte!. É verdade, mais a gente quer mas…comida, diversão, arte, educação, amizade, música e muitos viagens que faze a vida feliz.!!!.
    Parabéns por texto, as fotos e o viagem!!!
    Beijos

  18. Emília

    Com certeza, Carmen! Nós queremos tudo o que é bom e temos que exigir, sim 😀
    O título é uma brincadeira com a letra de uma música dos anos 80 dos Titãs, uma banda de rock brasileira.
    Apareça sempre por aqui!

  19. Renata

    Oi Emília, estou muito entusiasmada para conhecer Bs.As! Muito mais agora depois de ler seu blog e o da Carla!Vou com uma amiga no final de março. Estamos fechando hotel e pintou uma dúvida que percebi que vc pode facilmente esclarecer.Devemos ficar num hotel no centro ou na recoleta? No centro ficaríamos em hotel mesmo e na Recoleta ficaríamos num hostel “La Roca”. Já ouviu falar? O que acha dos dois lugares (centro e Recoleta) e de hotel e hostel?Gostei muito do site da La Rocca, parece que ali, a festa começa antes, sabe como? Além da facilidade para conhecer B. Aires tb (passeios,etc)Todavia, como é a minha primeira vez, gostaria muito que me ajudasse!Pode ser sincera mesmo ok?! rsFicaremos 6 dias, vc acha que conseguiremos conhecer tudo? Hum.e abusando da sua boa vontade.Vc nos ajudaria a montar um roteiro bem bacana???Um beijo e muito obrigado por dividri com a gente, momentos tão prazerosos de suas vigens!

  20. Emília

    Oi, Renata! Olha, a Recoleta é muito mais charmosa do que o centro, é ótima para passear, tem bons restaurantes. Entre os dois, o meu lugar preferido para ficar é ela. Agora…não posso te dar muitas informações sobre hostels, já que a minha experiência com eles é nula. Mas, olhando o site, me pareceu divertido para quem quer curtir a noite em Buenos e quer fazer amigos (e influenciar pessoas :mrgreen: ) É só ter em mente que o albergues normalmente tem acomodações bem simples…eu pediria um quarto só para vocês.
    Com 6 dias dá para fazer um bocado de coisas, mas eu sugiro a você que leia todos os posts de Buenos Aires (é um por dia de viagem, sete dias) e veja o que mais te apetece. Se tiver alguma dúvida, me dê um toque.
    Até mais!

  21. Renata

    Oi Emília, obrigada pela dica!
    Vou ler tudoooo! Qqr coisa, peço um help!! rss
    Muito obrigada!
    Bjo

  22. Pingback: Uma volta pelo Jardim Zoológico « Idas e Vindas

  23. Pingback: Bailando no Bar Sur « Idas e Vindas

  24. Pingback: Cafés da manhã… » Idas e Vindas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *