Buenos Aires

Uma turista acidental em Buenos Aires

Os freqüentadores deste blog vão estranhar: a Eco-mília (copyright Jorge Giramundo) fazendo turismo urbano? Pois é…eu curto um destino natureza, mas, antes de tudo, adoro viajar e ponto final. As cidades também me fascinam…Como não ficar de boca aberta ao bater perna sem parar, para ficar nas unanimidades, por Paris ou Barcelona? Aproveito as menores oportunidades para turistar também por São Paulo.
Buenos Aires, então, fazia todo o sentido: linda arquitetura, ótima comida, ruas planas, museus, parques e bons preços, que os bolsos não são de ferro. Ainda tinha uma missão: a de apresentar a cidade ao Marc, que tinha uma certa resistência a conhecê-la, estando mais inclinado a ir para Santiago numa próxima aventura sul-americana.

Bem, estive lá pela primeira vez em 2002, com duas amigas e, não tendo muitas expectativas, me surpreendi e me encantei com a cidade. Elas tinham ido para um congresso e tive oportunidade de curtir a cidade sozinha e acompanhada, aproveitando o dia e também a incansável noite portenha. Fiquei morrendo de vontade de voltar num dia desses.

Os posts da Carla fizeram o truque e começou o comichão. Logo depois vieram os relatos dos que tinham ido e aproveitado a boa vida, como a Sylvia. Não iríamos fazer nenhuma viagem no final do ano, mas a experiência positiva que ela tinha relatado do aluguel de apartamentos (e seu preço inacreditável) e o fato de termos milhagem nos ajudou a decidir: missão Buenos Aires Reveillon.

Pessoal, Buenos Aires não é um assunto novo (como pode se ver pelo parágrafo acima) e nem tenho pretensão de trazer grandes descobertas, mas como este blog é, antes de tudo, um diário de viagens, vou contar aqui nossas andanças por esta cidade tão viciante.

PS: Nesta viagem, esta turista de acidental não teve nada, na verdade…recebi dicas preciosíssimas de vários amigos muito experientes na arte de vibanear*: Carla, Riq, os meninos Destemperados, Sylvia, Mari, Beto…muito obrigada!
* Vibanear (lat vibaneare): ato próprio de um(a) Vibana.
* Vibana (s): Viciados em Buenos Aires não-anônimos (grafia dada por Mônica Gribel).

33 Comments

  1. Carla Castro

    Eba, vamos ver a Eco-Emília mudar de Aires!!!! hehehe, eita trocadilho ruim… 🙄
    Mais um blog para entrar no circuito pré-BsAs !!!
    Bjinhos,
    Carla

  2. Mô Gribel

    Emília querida,
    Eu quero saber de tudo! Afinal, sempre aparece uma coisa diferente quando é outra pessoa a olhar.
    Falando nisso, já gostei muito das fotos! Pode ir contando tu-di-nho!
    Beijos

  3. Débora

    Oba, mais dicas de Buenos Aires! Como já te falei, estou ansiosa pelos seus relatos de lá.
    Bjs!

  4. Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

    Tá bacana a matéria, bem escrita e que revela mais uma adoradora de Buenos Aires. Aliás, esta cidade está para os sulistas assim como Búzios está para os cariocas.
    Minha dúvida é: e os argentinos, são “simpáticos” como aqueles que vêm ao Brasil e nos chamam de “macaquitos”?

  5. Emília

    Carla, Buenos já está programada para quando você voltar? Puxa, que menina rápida no gatilho! 😆 Tá certíssima, o negócio é ter já várias viagens programadas, nunca se sabe…
    Mô, saudades! Também quero saber tudo sobre o seu Carnaval portenho! Mas provavelmente você ainda vai terminar o relato português, não?
    Um beijão!
    Débora, por que vocês já não começam a escolher um feriado? Com uma certa antecedência é mais fácil se programar (e pedir uns diazinhos de relax…). É ‘o’ lugar para os Brincando de Chef 😉
    Arnaldo, eu também adoro Búzios! Tinha uma época que cheguei a visitar várias vezes, mesmo com a distância de São Paulo. Quero muito voltar e também conhecer Arraial do Cabo (e mergulhar um pouquinho).
    Agora, com relação aos argentinos: dá primeira vez eu tive um pouco medo de hostilidade (já conhecendo a antiga história…), mas eu fiquei muito surpresa, são muito receptivos. Dessa vez não foi diferente, a maioria é muito gentil e adora puxar papo sobre tudo. Gostam de falar de futebol e conhecem nossos times, mas nada de reavivar a rivalidade. Muita gente relata a mesma experiência.
    Um abraço!

  6. Ernesto

    Arnaldo
    Em regra os Argentinos estão muito simpaticos aos Brasileiros, ao contrários de 20 anos atrás quando fui a primeira vez. Todos me traram muito bem, do jornaleiro, ao motorista de taxi, e as pessoas com quem se conversava… Isto para não falar nas lojas, onde ser brasileiro e sinal de vendas faceis e altas com~issões, pois os precos realmente compensam, como umexcelente casaco de couro por 140 dolares, e roupas pelo menos 30% mais baratos do que no Brasil. Atenção mulheres: produtos de maqlagem saem por pouco mais da metade do preço cobrado no Brasil! Isto, sem falar nas comidas, pois se come absurdamente bem com vinho num ótimo restaurante, por 60 a 100 reais por casal.

  7. Mari Campos

    Emília, uma vez Vibana, sempre Vibana!!! Beijocas com saudades

  8. Luisa

    Oi Emilia
    Posso parecer antipática… Ou, de repente, sou mesmo antipática! Mas sabe que Buenos Aires nunca foi um dos meus sonhos de consumo… Acho que é trauma de adolescência, criei um tipo de preconceito na época em que os argentinos dominavam as praias de Santa Catarina e tudo o que eu queria da Argentina era distância…
    Mas é sempre tempo de rever (pré)conceitos, e depois de ler tantos relatos apaixonados sobre Buenos Aires, para o próximo verão estou programando um tour pela Argentina.
    Muito bom conhecer também o seu ponto de vista sobre o lugar. O post tá ótimo!
    Bjs

  9. Emília

    Ernesto, realmente os preços são muito favoráveis, especialmente nesses itens que você mencionou: alimentação, roupas, cosméticos (inacreditável…) e eu adiciono ainda livros e CDs. O que não valeu a pena e eu já estava pronta para trazer foram os vinhos. Se quiser mandar as suas dicas, é só me falar!
    Mari, saudades do nosso sorvetinho de dulce de leche e conversas sem parar 😀 Quando vem para Sampa?
    Luisa, você sabe que antes de ir em 2002, eu também não tinha a menor vontade de ir. Achava que seria um lugar bem sem-graça, tanto que só fui por causa da companhia e porque o esquema que as meninas conseguiram foi uma pechincha e eu não sou de desperdiçar boas oportunidades de viagem 😉
    E eu me diverti um bocado, sabe? Assim como dessa vez. Como eu disse para o meu irmão, que seguiu o meu caminho uns 10 dias depois, BsAs não é cheia de lugares e coisas de cair o queixo, mas é uma delícia quando se quer bater perna, relaxar e comer bem.
    Um beijo!

  10. Diogo

    Eco-mília, e como se foram de restós? Me conta, descobriram algum novo? O que acharam dos recomendados? Me contaaaaa!!
    Bjos

  11. Débora

    Pois é menina, nós temos certeza que BsAs é “o lugar” para brincar de chef mas não queríamos ficar lá só por uns 3 dias porque é pouquíssimo tempo pra isso. Sem contar que ficando pelo menos uns seis dias aproveitamos melhor o preço da passagem, se é que você me entende! ;o)
    Beijinhos.

  12. Patsy

    Emília,
    Eu fiquei pensando será que ela não vai comentar nada de BUE no blog…. estranho 🙄 ahh, mas até que enfim…
    Bom, não é assunto novo, sabemos, e eu também estou enrolando para falar lá meu cantinho também, e as dicas serão as mesmas… risos, mesmas fontes 😆
    Mas já gostei das suas fotinhos, queremos saber mais!
    Beijinhos!!!!
    Pat

  13. Eduardo Luz

    Como vocês gostam muito de bons ares, fica bastante coerente falar de BsAs. A maioria das pessoas (como eu!) sonha em passar finais de semana por lá. E nada melhor do que saber o máximo de dicas possíveis.
    Estou aguardando os posts !

  14. Emília

    Diogo, pode deixar que vamos fazer um post só de comidinhas! As dicas foram maravilhosas, comemos muito bem…aliás, nem deveríamos, a dieta está em andamento por aqui 😛 (Posso confessar uma coisa? Eu só não curti muito o Olsen, apesar do lugar ser muito bonito.)
    Débora, entendo perfeitamente. E o melhor é que tem muita coisa para se fazer em seis dias, vocês não vão ficar entediados.
    Arnaldo, até pela minha opinião anterior (e a do Marc), eu realmente entendo que Buenos está longe de ser unanimidade. Ainda deve ter mais gente aqui nos comentários que vai compartilhar da sua opinião 😀
    Eduardo, eu acho Buenos um lugar legal para viajar a dois, com amigos…o DCPV poderia passar uma temporada por lá, tem tudo a ver 😉

  15. Emília

    Patsy, na verdade, eu ando postando com menos regularidade do que eu gostaria, o trabalho anda se intrometendo na minha vida blogueira 😀 Essa época para mim é bastante complicada, mas prometo que os posts de Buenos saem…devagar, mas saem 😉
    Vou cobrar os seus também 😆

  16. Patsy

    Emília, estou com o mesmo problema, esse tal de trabalho fica se imtrometendo…. *smack*

  17. Majô

    Emília,
    O post tá muito legal como sempre, com seu olhar doce.
    Mas, eu quero ver as fotos da conVNVenção em BsAs !!!!
    beijinhos,

  18. Carla

    Emília, que bom que vamos ter um cantinho aqui só pra falar de Buenos Aires… 😉
    Engraçado que, embora eu ame a cidade desde sempre, e tenha uma longa história familiar e de amizade que me leve a isso, eu compreendo os brasileiros que sentem uma certa antipatia pelos argentinos… Talvez tenha a ver com os turistas de lá que recebemos por aqui – quem freqüenta Búzios e Santa Catarina tem sempre algumas histórias não muito legais pra contar…
    Mas o que ocorre é que nem sempre as pessoas são os melhores embaixadores de seus países, muitas vezes passam uma mensagem bem negativa, intencionalmente ou não… Muitas vezes, quando estão de férias em um país estrangeiro, as pessoas pensam aquele velho “ah, tudo bem, ninguém me conhece aqui”, sem pensar que podem estar criando uma péssima impressão do seu povo naquele país! Mas acho super válido ir conferir na fonte, para não cristalizar um preconceito e – pior dos males – perder o melhor da festa… 😀

  19. Emília

    Patsy, nós duas somos pacientes, com calma chegamos lá 😆
    Majozita, que bom você por aqui! E eu estou adorando a sua série do Toque e Rota Ecológica. Muitas fotos…uma delícia 😀
    Carla, você falou e disse, como diriam antigamente 😉
    Faz todo o sentido e eu talvez não tenha tido todo o impacto da boa recepção pois nunca passei férias nas praias preferidas por argentinos. Fora que, depois daquele post do Riq sobre brasileiros se comportando no exterior, tudo dá o que pensar, não? (Se bem que nunca observei patrícios mal-comportados no exterior…ou na verdade eu sou é muito desligada?)

  20. Majô

    Emília, brigadinha, já vi seu comentário lá.
    Adoro passear com a turista acidental 😉

  21. Arnaldo - FATOS & FOTOS de Viagens

    EU não estranho NADA, porque quem gosta de viajar tem preferências como todo mundo, mas não se limita a apenas UM estilo turístico ou destino.
    Viajantes com eco-personalidade SEMPRE se sentem bem em cidades bacanas (aidna que de noite sonhem com aquela mata, aquela cachoeira, aquele mar, aquela praia, aquela omontanha….).
    A maioria dos eco-viajantes adora comer bem, ver bons shows, fazer boas compras em bons shoppings, tomar bons vinhos e ver bonitas paisagens, ou seja, TUDO o que é possível fazer em Buenos Aires, certo?
    E VIVA a Eco-Emília em Buenos Aires!
    Passei aqui pra deixar um abraço, esse comentário e convidar a ver TAORMINA e as várias outras novidades no FATOS & FOTOS de Viagens.

  22. Emília

    Obrigadinha, Majô, beijinhos 😀
    Hehe…Arnaldo, você captou bem o esquema 😀
    Eu raramente não vou gostar de algum lugar, normalmente tenho muitos interesses e se tiver um lugarzinho natureza, uma trilhinha para combinar, melhor ainda 😉
    Um exemplo é uma viagem que fiz com a minha mãe em julho de 2005, pelas cidades históricas. A estrela do roteiro foi Tiradentes, onde batemos muita perna e suspiramos nas ruas de pedra, comemos maravilhosamente em belos restaurantes, compramos do lindo artesanato de Bichinho, andamos de maria-fumaça e ainda reservamos um dia para subir a serra de São José, molhar os pés nos rios gelados e olhar Tiradentes lá do alto. Pra que escolher se se pode fazer tudo, não é mesmo? 😆
    Aliás, outro lugar em que com certeza se pode fazer de tudo é Istambul, não? Estava ontem mesmo dando uma olhada no post sobre o ferry do Bósforo… 😀
    E já vou dar agora mesmo um pulo para ver Taormina!

  23. Carmen

    Emília,
    Não sabía que vocês estaban en Buenos Aires!!!. É um boa descoberta.
    He hecho obras en casa e os operários eran argentinos e eu muito contenta les dije que os brasileiros les adoraban. Se quedaron muito sorprendidos. Les dije que mis amigos brasileiros adoraban Buenos Aires. Eles me contestaron que não eran de Buenos Aires, sino de Mar de Plata e isso não iba con eles. Para os argentinos el rival sempre é Brasil (en la economía e em o futebol.
    Beijos

  24. Emília

    Hehe…acho que esse fenômeno é realmente restrito a Buenos Aires, Carmen. Os portenhos estão mais acostumados à ‘invasão brasileira’ e acabam interagindo mais conosco. Conversando é que a gente se entende, então, normal que a receptividade seja maior ali que em outras partes da Argentina. Como é difícil combater certas rixas…não sei qual é a graça, quando levadas muito a sério, não é mesmo?

  25. Lucia Malla

    Eco-mília, eu quero sim ouvir tudo que vc pode contar de Buenos Aires! Eu não conheço a cidade, e guardo todas as dicas com carinho, para o dia q eu lá aportar. 🙂
    Beijos!

  26. Emília

    Lucia, é uma cidade que cativa aos pouquinhos, excelente para passear com tranqüilidade, sem obrigação de lerês, como diria o Riq 😉 Mas com atrações suficientes para estimular a cabeça agradavelmente 😀

  27. Alexandre

    Oi, Emília. Sempre vejo seus comentários no blog da Carla, mas só agora cliquei no link e vim parar aqui. Comecei a ler um post e não parei mais! Viagem é um assunto mais que fascinante, não importa o destino.
    Passei muito rápido por Buenos Aires em janeiro de 2007, era praticamente uma escala para minha maluquice patagônica. Não dava muita bola, mas fiquei absolutamente encantado depois de dar uma volta. Queria ter ficado mais. Ler seus posts mata um pouco a saudade!

  28. Emília

    Oi, Alexandre! Acho que um vez confundi você com o outro Alexandre, que está planejando a volta ao mundo, hehe 😀
    Você sabe que eu também não ficava muito empolgada com a idéia de ir para Bs.As., mas uma vez lá, me diverti muito e adorei a cidade. Agora está muito mais fácil ir para lá, quem sabe um feriadinho?
    Obrigada pela visita!

  29. Sylvia Lemos

    Atrasadíssima para comentar , mas me auto-desculpo pois estava vibaneando de novo . Desta vez com uma parada em PERITO MORENO , que recomendo mil vezes ( de dez a março ).
    Buenos está cada vez melhor , e desta vez o ap alugado foi em Palermo Soho ( os outros foram na Recoleta ) . Adoramos passar o fim do dia caminhando e bisbilhotando e jantar a poucas quadras de casa , sem precisar de táxi . Perfeito !
    Quer dizer, mais-que-perfeito :)))PS- Descobri um outro site com barbadas : letsgoargentina.com ( ótimo para quem quer zilhões de opções de studios )

  30. Emília

    Oi, Sylvia, que bacana ver você por aqui! Pelo jeito a viagem foi tudo de bom e mais um pouco 😀 Você aproveitou o mesmo esquema do Rodrigo, de aproveitar uma ida para Buenos e fazer uma parada em algum ponto da grande região patagônica. Eu sonho em fazer tudo isso em um bom espaço de tempo, mas, como disse ao Rodrigo, é muito bacana saber que dá para ‘degustar’ aos pouquinhos (nem sempre temos o tempo e $ necessários…). Aliás, as fotos de Perito Moreno do Tony e do Rodrigo são de dar água na boca, imagino a tua paixão…
    Quanto à Palermo…quem sabe numa próxima vez? Talvez eu me apaixone pela região, hehe…Vou dar uma olhada também no letsgo. Um abraço! 😀

  31. Lu

    eu sou uma vibana, como faço para passar minhas dicas ?

  32. Emília

    Oi, Lu
    Pode deixar suas dicas aqui neste post mesmo.

Deixe uma resposta para Lu Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *