No dia seguinte é que pudemos curtir de verdade a praia…Bonete tem cerca de 600m, sendo que o canto esquerdo (olhando do mar) é bem agitado e próprio para o pessoal que gosta de surfe.
 
A praia também tem um riozinho desaguando no seu canto direito…

…que também é o lugar preferido para os pescadores guardarem seus barcos.

O canto direito também deve ser bom para fazer um snorkeling, mas tinha esquecido o meu…

É um lugar ideal para se fazer nada e era exatamente esta a proposta do dia: tomar sol, ler, tomar banho de mar e banho de rio, bebericar, comer, andar…puro relax.

Como vocês podem ver, a praia é um sossego só…quando estávamos lendo nesse canto aí da foto de cima tivemos somente a companhia de algumas senhoras da vila, que aparentemente estavam curtindo o sábado, como nós.

Almoçar na baixa temporada foi algo um pouco mais difícil, já que todos os barzinhos de praia estavam fechados (no único aberto a senhora que cozinhava disse que não podia nos servir, pois estava preparando a festa da netinha dela – que ouvimos depois ao longe 😀 ). A pousada não oferece almoço, mas se prontificaram para passar uma encomenda por rádio, se quiséssemos.
Claro que sim…e fomos parar na Petiscaria Nema, um lugar na beira do rio, que serve comida caseira.

Almoçamos uma saladinha e PF tradicional de peixe, com direito a farofa de taioba, uma especialidade caiçara. O lugar é simples e muito agradável, com um pequeno deck sobre o rio.

Depois do almoço aproveitamos para conhecer a vila, que é muito organizada e bucólica.


Quer dizer…nem tão bucólica assim 🙄

Essa igrejinha simpática fica na beira da praia.

Querendo variar um pouco, de Bonete dá para continuar no sentido leste até as praias de Enchovas (uma hora de caminhada) e Indaiatuba, em seguida. Era o que queríamos fazer, se tivéssemos mais um dia (e pernas menos doloridas 😳 ).
Mas só voltamos para relaxar na pousada…

Depois de um jantar à luz de velas, ouvindo o som do mar, saímos para a praia. Pouquíssimas luzes na vila, só a lua, quase cheia, ajudando na caminhada.
Mas sugerimos que você leve uma lanterna…é uma surpresa iluminar a areia e se surpreender com centenas de pequenas luzes se movendo: são os sirizinhos que aproveitam o sossego da noite para sair da toca e prosseguir com sua rotina 😀
A lanterna também ajuda a tomar cuidado e não atropelar um pobre coitado. Pelo meu cabeçalho também dá para perceber que eu adoro siris, não?  😉
Um fim perfeito para um belo dia 😀